Psicologia histórico-cultural e a relação entre instrumento e signo no desenvolvimento infantil: uma discussão metodológica

Autores

  • Eduardo Moura Costa
  • Silvana Calvo Tuleski Universidade Estadual de Maringá

Palavras-chave:

Psicologia histórico-cultural. instrumento. signo. desenvolvimento.

Resumo

O presente ensaio tem como objetivo retomar um conceito que é central para a psicologia desenvolvimentista iniciada por Vigotski e seus colaboradores, que é unidade entre instrumento e signo no desenvolvimento infantil. Pretende-se demonstrar o caráter revolucionário de tal abordagem metodológica do estudo das funções psicológicas superiores, ao se comparar com as visões empiristas (mecanicistas) e descritivas em psicologia. Parte-se da metodologia da Psicologia Histórico-cultural. Esta visão diz que deve haver tanto a mediação dos outros como da própria realidade para que se desenvolva uma relação complexa entre os signos auxiliares e os estímulos/objetos que eles representam. É através da internalização da cultura que se desenvolve o pensamento e a personalidade da criança. Conclui-se demonstrando o papel central que a educação escolar tem no desenvolvimento máximo dos indivíduos. 

Biografia do Autor

Eduardo Moura Costa

Psicólogo (Unesp/Assis), Mestre em Psicologia (UEM) e Doutorando em Psicologia (Unesp/Assis).Assis/SP. Email: eduardomcbr@yahoo.com.br.

Silvana Calvo Tuleski, Universidade Estadual de Maringá

Doutora em Educação; Professora Associada da Universidade Estadual de Maringá (UEM). E-mail: silvanatuleski@gmail.com

Downloads

Publicado

27/03/2016

Como Citar

Costa, E. M., & Tuleski, S. C. (2016). Psicologia histórico-cultural e a relação entre instrumento e signo no desenvolvimento infantil: uma discussão metodológica. INTERFACES DA EDUCAÇÃO, 6(18), 101–123. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/interfaces/article/view/762