BASES DE SUSTENTAÇÃO POLÍTICA E FENÔMENO DO LULISMO.

Visualizações: 8

Autores

DOI:

https://doi.org/10.61389/rcs.v3i3.7636

Palavras-chave:

Lulismo. Reformismo fraco. Classes sociais. Realinhamento.

Resumo

Este artigo problematiza duas das teses contidas em Os sentidos do lulismo reforma gradual e pacto conservador (2012) propostas por André Singer: a adesão de parcela importante de eleitores ao governo a partir de 2006, denominada “realinhamento” e reformas de natureza econômica conhecida como “reformismo fraco”. A partir daí criou-se base de sustentação e possibilidade de arbitragem entre as classes sociais propiciando controle dos movimentos operário e popular atraindo apoio da burguesia ao governo Lula. Mediante revisão bibliográfica problematizamos esta concepção. Boito Junior (2018) destaca a presença de “uma nova burguesia nacional” na estrutura de poder no Brasil desde 2000 ascendendo política e economicamente durante o governo Lula a desempenhar importante papel no jogo político brasileiro. Com o fim do lulismo assistimos a reorganização das forças sociais iniciando era de incertezas na superação das gritantes desigualdades produzidas pelas contradições do capitalismo brasileiro.

 

Biografia do Autor

Alexandre de Castro, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

Alexandre de Castro é doutorando em Ciências Sociais na Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP Câmpus de Marília/SP onde graduou-se em Ciências Sociais Licenciatura (2019) e Ciências Sociais Bacharelado (1995), é Bacharel em Direito pelo Centro Universitário Eurípedes de Marília - UNIVEM (2002),  Mestre em Teoria do Direito e do Estado pelo Centro Universitário Eurípedes de Marília - UNIVEM (2005). Atualmente é professor do Curso de Ciências Sociais da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, Unidade Universitária de Paranaíba.

Referências

ANDERSON, Perry. O Brasil de Lula. Novos Estudos. Tradução Alexandre Barbosa de Souza e Bruno Costa. nov. 2011. p. 23-52. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/nec/n91/a02n91.pdf Acesso em: 27 ago. 2018.

BOITO JUNIOR, Armando. Reforma e crise política no Brasil: os conflitos de classe nos governos do PT. Campinas/SP; Editora da Unicamp/São Paulo/SP: Editora Unesp, 2018.

GOHN, Maria da Glória. Manifestações de junho de 2013 no Brasil e praças dos indignados no mundo. Petrópolis/RJ: Vozes, 2014.

SINGER, André. Esquerda e direita no eleitorado brasileiro: a identificação ideológica nas disputas presidenciais de 1989 e 1994. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2002.

_______. Os sentidos do lulismo. Reforma gradual e pacto conservador. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

SINGER, Paul. Dominação e desigualdade. Estrutura de classe e repartição da renda no Brasil. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981.

SOUZA, Jessé. A radiografia do golpe: entenda como e por que você foi enganado. Rio de Janeiro: Leya, 2016.

Downloads

Publicado

2023-12-12

Como Citar

de Castro, A. (2023). BASES DE SUSTENTAÇÃO POLÍTICA E FENÔMENO DO LULISMO. REVISTA DE CIÊNCIAS SOCIAIS DA UEMS - ISSN 2764-0655, 3(3), 40–53. https://doi.org/10.61389/rcs.v3i3.7636