CYBERBULLYING AMONG ADOLESCENTS IN PUBLIC SCHOOLS IN THE MUNICIPALITY OF CAMPO GRANDE, MATO GROSSO DO SUL

Autores

Palavras-chave:

Cyberbullying; Adolescentes; Violência Escolar.

Resumo

O cyberbullying pode ser caracterizado como uma questão social, que gera impacto na saúde de adolescentes e pode configurar sérios problemas de saúde pública. A utilização do cyberbullying por adolescentes decorre do anonimato, e isso provoca a sensação de proteção do agressor, acompanhada da falta de conjectura dessa atitude. O presente estudo tem como objeto o Cyberbullying entre adolescentes nas escolas públicas de Campo Grande, Mato Grosso do Sul. Visa analisar o cyberbullying escolar entre adolescentes no município de Campo Grande/MS. A metodologia se apresenta como estudo de abordagem quantitativa, exploratória, descritiva de natureza transversal e se justifica a necessidade de exploração e compreensão do cyberbullying no contexto escolar e regional. Como resultado, constatou-se a ocorrência de cyberbullying entre adolescentes nas escolas púbicas municipais de Campo Grande/MS, e se espera que seja atribuída a devida importância a essa modalidade de violência escolar.

Biografia do Autor

Graciele Silva, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Saúde e Desenvolvimento na Região Centro-Oeste da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS).  

Michel Canuto de Sena, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutorando pelo Programa de Pós-Graduação em Saúde e Desenvolvimento na Região Centro-Oeste da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Campo Grande/MS. Doutorando em Direito pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Professor de Direito da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Campo Grande/MS.

Paulo Roberto Haidamus de Oliveira Bastos, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Professor titular (full professor) da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Campo Grande/MS. Professor sênior do Programa de Pós-Graduação em Saúde e Desenvolvimento na Região Centro-Oeste Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS).

Referências

ABT, T. P. Towards a framework for preventing community violence among youth. Psychology health & medicine. v. 22, sup. 1, p. 266-285, 2017.

ALBALADEJO-BLÁSQUEZ, N.; et al. Health-Related Quality of Life and Mental Health of Adolescents Involved in School Bullying and Homophobic Verbal Content Bullying. International Journal of Environmental Research and Public Health, v. 16, n. 14, p. 2622, July, 2019.

ANDERSON, C.A. et al. Screen violence and youth behavior. Pediatrics, v. 140, (Suppl 2): S142-S147, Nov. 2017.

ARHUIS-INCA, W.; et al. Violence at School and Bullying in School Environments in Peru: Analysis of a Virtual Platform. Frontiers Psychology, v. 11, Jan. 2021.

ASSIS, S. G.; MARRIEL, N. S. M. Reflexões sobre violência e suas manifestações na escola. In: Impactos da violência na escola. (Org). Simone Gonçalves de Assis, Patrícia Constantino e Joviana Quintes Avanci. Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2010. p. 41-64.

BARBIERI, Bianca da Cruz; SANTOS, Naiara Ester dos; AVELINO, Wagner Feitosa. Violência escolar: uma percepção social. Revista Educação Pública, v. 21, nº 7, 2 de março de 2021.

BRAGA, L.; DELL’AGLIO, D. D. Exposição à violência em adolescentes de diferentes contextos: família e instituições. Estudos de Psicologia, v. 17, n. 3, p. 413-420, set./dez. 2012.

BRASIL. Ministério dos Direitos Humanos. Secretaria Nacional de Proteção dos Direitos da Criança e Adolescente. Violência contra Crianças e Adolescentes: Análise de Cenários e Propostas de Políticas Públicas. (org.) MORESCHI, M. T. Brasília: Ministério dos Direitos Humanos, 2018.

BRASIL. Lei nº 13.185, de 6 de novembro de 2015. Institui o Programa de Combate à Intimidação Sistemática (Bullying). Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13185.htm. Acesso em: 15 dez. 2021.

BUENAÑO, J. J. E.; SÁNCHEZ J. A.; PAREDES L. M. A. Violencia y mediación escolar en adolescentes ecuatorianos. Dilemas contemporáneos: educación, política y valores, v. 8 n. 3, p. 1-20, mayo/agosto 2021.

COOLEY-STRICKLAND, M. R. Urban African American youth exposed to community violence: A school-based anxiety preventive intervention efficacy study. J Prev Interv Community, v. 39, n. 2, p. 149–166, Apr. 2011.

FONTANIVE, N. S. et al. O que o PISA para Escolas revela sobre uma Rede de Ensino no Brasil? A experiência da Fundação Cesgranrio em 2019. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, v. 29, n. 110, p. 6-34, jan. 2021.

FUNK J.B. Exposure to Violent Video Games and Desensitization to Violence in Children and Adolescents. Department of Psychology, MS 948, University of Toledo, 2801 West Bancroft, Toledo, OH, USA. 2006. Disponível em: https://dl.ifip.org/db/conf/iwec/icec2006/Funk06.pdf. Acesso em: 29 dez. 2021.

FARIA, C. S.; MARTINS, C. B. G. Violência entre adolescentes escolares: condições de vulnerabilidades. Enfermeíra Global, v. 1, n. 42, p. 171-184, abr. 2016.

FOWLER, P.; et al. Community violence: A meta-analysis on the effect of exposure and mental health outcomes of children and adolescents. Development and Psychopathology, v. 21, n. 1, p. 227-259, 2009.

FRANCISCO, M. V.; LIBÓRIO, R. M. C. Um Estudo sobre Bullying entre Escolares do Ensino Fundamental. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 22, n. 2, p. 200-207, 2009.

GALAN JIMÉNEZ. S. F. J.; SERRANO, P. Desensibilización a la violencia una revisión teórica para la delimitación de Violence desensitization: delimitating a construct through a theoretical revision. Uaricha, v. 11, n. 25, p. 70-81, 2014.

GARAIGORDOBIL, M. MARTÍNEZ-VALDERREY, V. Technological Resources to Prevent Cyberbullying During Adolescence: The Cyberprogram 2.0 Program and the Cooperative Cybereduca 2.0 Videogame. Frontiers in psychology, v. 9, n. 745, 2018.

GIORDANI, J. P.; SEFFNER, F.; DELL’AGLIO, D. D. Violência escolar: percepções de alunos e professores de uma escola pública. Psicologia Escolar e Educacional, v. 21, n. 1, p. 103-111, jan./ abr, 2017.

HORTA, C.L. et al. Bullying e uso de substâncias psicoativas na adolescência: uma revisão sistemática. Ciência & Saúde Coletiva, v. 23, n. 1, p:123-139, 2018.

HUANG, J. et al. Cyberbullying in Social Media and Online Games among Chinese College Students and Its Associated Factors. Int J Environ Res Public Health. 2021 May; v. 18, n. 9, p. 4819. Published online 2021 Apr 30

KEMP, S. Digital 2021: global overview report. Disponível em: https://datareportal.com/reports/digital-2021-global-overview-report. Acesso em: 18 de nov. 2021.

KENSKI, V. M. Educação e tecnologias: o novo ritmo da informação. 2. ed. Campinas: Papirus, 2007.

KRUG, E.G.; et al. Relatório mundial sobre violência e saúde. Organização Mundial da Saúde, Genebra: 2002.

LUCAS, S.; et al.; Bully, bullied and abused. Associations between violence at home and bullying in childhood. Scandinavian Journal of Public Health, v. 44, n.1, p. 27-35, 2015.

LORENZETTI, J. et al. Tecnologia, inovação tecnológica e saúde: uma reflexão necessária. Texto & Contexto enfermagem, v. 21, n. 2, p. 432- 439, abr./ jun. 2012.

MALAEB, D. et al. Bullying victimization among Lebanese adolescents: The role of child abuse, Internet addiction, social phobia and depression and validation of the Illinois Bully Scale. BCM Pediatrics, v. 20, n. 520, p.2-11, 2020.

MACEDO, R. T. et al. Redes de computadores. 1 ed. Santa Maria, RS: UFSM, NTE, 2018

MINAYO, M. C. S; SOUZA, E. R. Violência e saúde como um campo interdisciplinar e de ação coletiva. História, Ciências, Saúde-Manguinhos, v. 4, n. 3, p. 513-531, 1997.

MINAYO, Maria. C. S. Ciência, técnica e arte: o desafio da pesquisa social. In: MINAYO, M. C. S (org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis, RJ: Vozes, 2001. p. 9-29.

MONTERO-CARRETERO, C. BARBADO, D.; CERVELLÓ, E. Predicting Bullying through Motivation and Teaching Styles in Physical Education. International Journal of Environmental Research and Public Health, v. 17, n. 1, p. 87, Jan. 2017.

MORETTI, C.; HERKOVITS, D. De víctimas, perpetradores y espectadores: una meta-etnografía de los roles en el ciberbullying. Cadernos de Saúde Pública, v. 37, n. 4, p. 1-18, Dec. 2020.

MRUG, S.; MADAN, A.; WINDLE, M. Emotional Desensitization to Violence Contributes to Adolescents' Violent Behavior. J Abnorm Child Psychol, v. 44, n. 1, p.75-86, jan. 2016.

SATTLER, L. J.; THOMAS, K. A.; CADET, T.L. Reactive Protection? Fear, Victimization, and Fighting Among U.S. High School Students. J Interpers Violence, v. 34, n.17, p. 3666-3690, Sep. 2019.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. World report on violence and health (Relatório Mundial sobre violência e saúde), 2002. Disponível em: https://portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br/wpcontent/uploads/2019/04/14142032-relatorio-mundial-sobre-violencia-e-saude.pdf. Acesso em: 27 jul. 2021

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Global status report on violence prevention 2014. Disponível em: https://www.who.int/publications/i/item/9789241564793. Acesso em: 28 jul. 2021.

PATIAS, N. D.; HEINE, J. A.; DELL’AGLIO, D. D. Bem-estar subjetivo, violência e sintomas de depressão, ansiedade e estresse em adolescentes. Avaliação Psicológica, v. 16, n. 4, oct./dic., 2017, p. 468-477, 2017.

PEREIRA, B. O.; et al. Prevenção do Bullying no Contexto Escolar: Implementação e Avaliação de um Programa de Intervenção. In: Perspectivas de Desenvolvimento num Mundo Globalizado. Porto: Escola Superior de Educação, Instituto Politécnico do Porto. p. 535-544.

PIAGET, J. O juízo moral na criança. Tradução Elzon L. 2. ed. São Paulo: Summus, 1994.

PIROSTE, C. D. O adolescente e a internet: laços e embaraços no mundo virtual. 2013. Tese (Doutorado – Psicologia e Educação), Faculdade de educação, Universidade de São Paulo, São Paulo: 2013.

SASS, S. D. A tecnologia no mundo contemporâneo: promessas e desafios. Rev. Filos., Aurora, Curitiba, v. 27, n. 40, p. 219-243, jan./abr. 2015.

SERDYUKOV, P. Innovation in education: what works, what doesn’t, and what to do about it? Journal of Research in Innovative Teaching & Learning, v. 10, n. 1, p. 4-33, 2017.

SOUZA, S. B.; SIMÃO, V.; CAETANO, A.P. Cyberbullying: Percepções acerca do Fenômeno e das Estratégias de Enfrentamento. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 27, n. 3, p. 582-590, 2014.

RODRÍGUEZ-HIDALGO, A. J.; PANTALEÓN, Y.; CALMAESTRA, J. Psychological Predictors of Bullying in Adolescents From Pluricultural Schools: A Transnational Study in Spain and Ecuador. Front. Psychol., v. 10, p. 1-11, jun. 2019.

UNICEF. Pesquisa do UNICEF: Mais de um terço dos jovens em 30 países relatam ser vítimas de bullying online. nov. 2019. Disponível em: https://www.unicef.org/brazil/comunicados-de-imprensa/mais-de-um-terco-dos-jovens-em-30-paises-relatam-ser-vitimas-bullying-online. Acesso em: 20 abr. 2021.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA (UFSC). Violência: definições e tipologias. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina, 2014.

VIEIRA JUNIOR, F. U.; VIEIRA, K.M R.; MORETTI, A. C. Bullying com adolescentes escolares em diferentes contextos educacionais. Revista de Enfermagem online, v. 14, e.243622, p. 1-9, 2020.

WONG, C. A.; MERCHANT, R. M.; MORENO, M.A. Using social media to engage adolescents and young adults with their health. Healthc (Amst), v. 2, n. 4, p. 220-224, 2014

ZEQUINÃO, M. A.; et al. Bullying escolar: um fenômeno multifacetado. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 42, n. 1, p. 181-198, jan./mar. 2016.

ZEQUINÃO, M.A.; et al. Desempenho escolar e bullying em estudantes em situação de vulnerabilidade social. Journal of Human Growth Development. v. 27, n. 1, p. 19-27, May. 2017.

ZHANG, X.; HAN, Z.; BA. Z. Cyberbullying Involvement and Psychological Distress among Chinese Adolescents: The Moderating Effects of Family Cohesion and School Cohesion. Int. J. Environ. Res. Public Health, v. 17, n. 23, Dec. 2020.

ZHU; C.; HUANG, S.; EVANS, R.; ZHANG, E. Cyberbullying Among Adolescents and Children: A Comprehensive Review of the Global Situation, Risk Factors, and Preventive Measures. Front. Public Health, v. 9, n. 634909, mar. 2021.

Downloads

Publicado

21/02/2022

Como Citar

Silva, G., Canuto de Sena, M. ., & Haidamus de Oliveira Bastos, P. R. (2022). CYBERBULLYING AMONG ADOLESCENTS IN PUBLIC SCHOOLS IN THE MUNICIPALITY OF CAMPO GRANDE, MATO GROSSO DO SUL . GEOFRONTER, 8. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/GEOF/article/view/6841

Edição

Seção

Artigos