Corrientes, por la noche: um estudo da modernidade argentina

Autores

  • Sebastian Andres Samra Universidad de Buenos Aires
  • Édila de Cássia Souza Santana Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Resumo

O objetivo deste trabalho foi fazer a análise da crônica intitulada Corrientes, por la noche (1998) escrita por Roberto Arlt, com o intuito de evidenciar como se reflete o processo de Modernização característico da Modernidade no Modernismo. A década de 1920 foi o marco das mudanças das tendências artísticas e literárias que, influenciadas pelo processo de Modernização, mudaram radicalmente. Por tal motivo, procurou-se demostrar o vestígio do processo de Modernização por meio da descrição analítica da crônica escolhida para nosso trabalho. Partiu-se da teoria sobre Modernidade de Marshall Berman em Tudo o que é sólido desmancha no ar. A aventura da Modernidade (1986), a teoria Walter Benjamin em Charles Baudelaire um lírico no auge do capitalismo (1989) acerca do flâneur, e Una modernidad periférica: Buenos Aires 1920 y 1930 (2003) de Beatriz Sarlo sobre a Modernidade, o processo de Modernização, e o Modernismo na Literatura, respectivamente, para atingir o nosso objetivo.

Biografia do Autor

Sebastian Andres Samra, Universidad de Buenos Aires

Licenciado em Letras Português/Inglés pela Universidad Estadual de Mato Grosso do sul (UEMS) UUC Cassilândia.

Atualmente aluno regular do Mestrado na área de Literaturas em Línguas Estrangeiras e Literaturas Comparadas pela Universidad de Buenos Aires.

Downloads

Publicado

10/07/2017

Como Citar

Samra, S. A., & Souza Santana, Édila de C. (2017). Corrientes, por la noche: um estudo da modernidade argentina. WEB REVISTA LINGUAGEM, EDUCAÇÃO E MEMÓRIA, 1(12), 08–32. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/WRLEM/article/view/1702