ESTUDANTES DA USP X POLÍCIA MILITAR: BREVE ANÁLISE DE UMA POLÊMICA

Adriana De Paula

Resumo


O presente artigo tem como objetivo fazer uma análise discursiva da polêmica em torno da instalação de uma base da Polícia Militar na Universidade de São Paulo (USP) em setembro de 2011. Tomando como objeto de análise um corpus constituído por 90 textos publicados entre 27 de outubro de 2011 (momento em que um grupo de estudantes entra em confronto com a polícia em função da prisão de estudantes que portavam maconha) e 29 de novembro de 2011 (momento em que esse acontecimento deixa de ser mencionado intensamente nos jornais). Composto por artigos de opinião, cartas de leitor e editoriais, o corpus apresenta a opinião de estudantes, professores, articulistas e leitores sobre a presença da PM na USP, sobre a invasão da reitoria pelos estudantes e sobre a prisão dos manifestantes, apresentando formações discursivas favoráveis e contrárias a cada um desses aspectos. A análise dos dados baseia-se em conceitos da análise do discurso francesa, principalmente em teóricos como Courtine ([1981] 2009) e Maingueneau (2005) e toma como referência noções como simulacro, memória e polêmica discursiva. O trabalho visa discutir que mecanismos linguísticos são utilizados quando dois discursos, em um mesmo espaço discursivo, instauram uma polêmica entre si. A análise dos dados mostra que muitos textos recorrem ao domínio da memória (DMem) como estratégia argumentativa para defender a posição de seus enunciadores.

Palavras-chave


acontecimento; memória; análise do discurso.

Texto completo:

PDF


ISSN: 2237-8332