Por uma estética singular: escola e imprensa educacional

Jéssica Lima Urbieta

Resumo


O presente artigo identifica as contribuições acadêmicas sobre elementos de materiais impressos estudantis, a respeito da correlação entre escola e imprensa periódica estudantil na produção de uma estética para os impressos estudantis entre os anos de 1930 a 1960. A presente investigação é de caráter bibliográfico e documental e teve como fonte inicial os trabalhos acadêmicos, que ajudaram reunir elementos para análise. No exame das fontes incursionou-se um diálogo com estudos historiográficos e sociológicos, em especial no aporte sociológico de Pierre Bourdieu. Os resultados sinalizaram que, os estudos vêm privilegiando impressos estudantis como fonte e objeto de pesquisa no âmbito da História da Educação e Cultura, à medida que auxiliam na compreensão de valores arrolados as práticas culturais, escolares e sociais do campo de produção simbólica de uma instituição de ensino. O período balizado sofre mudanças na situação social e, exige o empenho por novos programas educativos, a fim de atender as expectativas de formação da nova sociedade. O ideário escolanovista surge no contexto educacional brasileiro na busca de possibilitar a escola disposição para atender as modificações decorrentes da sociedade. Essa nova configuração, enseja o educando mais participativo nesse processo, o que culminou com novas práticas, produções e posicionamentos.


Palavras-chave


Impressos estudantis; Escola; Imprensa; Estética.

Texto completo:

PDF


ISSN: 2237-8332