A colonização das sexualidades indígenas e a história da educação (sexual) no Brasil

Autores

Palavras-chave:

Povos indígenas, colonização, gênero, sexualidades.

Resumo

O artigo trata do processo de colonização das sexualidades indígenas e a história da educação (sexual) no Brasil, apontando a colonização como um processo que impõe a “heterossexualização da nação” e diversas formas de opressão aos povos originários. Utilizando fontes históricas e antropológicas, fazemos uma imersão ao Brasil pré e pós-colônia a partir das discussões presentes na oitava edição do jornal “Lampião da Esquina”, compartilhamos conhecimentos sobre patriarcado, racismo e LGBTfobia, advindos da colonialidade, presentes atualmente dentro e fora das aldeias, que oprimem os povos originários, assim como suas expressões gênero-sexual-diversas. Neste artigo, reunimos também referências acerca da educação escolar (indígena ou não) e as discussões atuais sobre educação sexual presentes na pedagogia feminista, queer e decolonial. Concluímos este artigo afirmando nossa oposição ao governo Bolsonaro, especificamente sua política anti-indígena e LGBTfóbica, bem como a importância da vacinação em massa das comunidades originárias e da educação escolar como espaço de resistência.

Biografia do Autor

Isabella Nara Costa Alves, Universidade Federal de Pernambuco

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação pela  Universidade Federal de Pernambuco(UFPE/PPGEDU). Pesquisadora do Grupo de estudos e pesquisas em educação, raça, gênero e sexualidade Audre Lorde (GEPERGES/UFRPE). Participante do Grupo de Pesquisa: Discursos, subjetividades e Educação. (PPGEDU/UFPE).

Missilene Maria Silva Costa, Universidade Federal Rural de Pernambuco

Mestra em Educação, Culturas e Identidades pela Universidade Federal Rural de Pernambuco e Fundação Joaquim Nabuco. Pesquisadora do Grupo de estudos e pesquisas em educação, raça, gênero e sexualidade Audre Lorde (GEPERGES/UFRPE). 

Referências

AKOTIRENE, Carla. Interseccionalidade. Feminismos Plurais. São Paulo: Sueli Carneiro; Pólen, 2019.

ANZALDÚA, Gloria. Borderlands/La Frontera: The New Mestiza. San Francisco: Aunt Lute Books, 1987.

ALEIXO, Isabela (2019). Existe feminismo indígena? Seis mulheres dizem pelo que lutam. Revista Geledés, em questão de gênero por Isabela Aleixo no O Globo, 02/05/2019. https://www.geledes.org.br/existe-feminismo-indigena-seis-mulheres-dizem-pelo-que-lutam/ Acesso em: 06/04/2021.

BOTELHO, Denise. Educadores e relações raciais. Revista Brasileira Crescimento e Desenvolvimento Humano. São Paulo, 9 (2), 1999.

BRASIL, Conselhos Nacional de Educação. Parecer CNE/CEB 13/2012. Diretrizes Curriculares para a Educação Escolar Indígena. DOU, 15/06/2012. Brasília, 2012. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=10806-pceb013-12-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 08/04/2021.

BRASIL. A Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da República Federativa do Brasil., 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/civil. Acesso em 24/03/2021.

CARNEIRO, S. (2003). Mulheres em movimento . Estudos Avançados, 17(49), 117-133. Recuperado de https://www.revistas.usp.br/eav/article/view/9948. Acesso em: 01/04/2021.

CASTRO, Susana de. Condescendência: estratégia pater-colonial de poder. Revista Fundamentos, vol. 1, nº 1. Teresina, 2018. In: Pensamento feminista hoje: perspectivas decoloniais. Rio de Janeiro: Bazar do Tempo, 2020.

DAVIS, Angela. Mulheres, raça e classe; tradução Heci Regina Candiani. - ed. - São Paulo: Boitempo, 2016.

Dias, A. F. (2014). Como as escolas educam corpos nas práticas pedagógicas? Revista Tempos E Espaços Em Educação, 103-112. https://doi.org/10.20952/revtee.v0i0.2958

FERNANDES, Estevão R. “Existe índio gay?”: a colonização das sexualidades indígenas no Brasil. 2 ed. Curitiba: Brazil Publishing, 2019.

GIROUX, Henry A. Praticando Estudos Culturais nas faculdades de educação. IN: SILVA, Tomaz Tadeu da. Alienígenas na sala de aula. Petrópolis, RJ: Vozes, 1995.

KER, João (2020). Como a colonização tentou apagar as sexualidades indígenas no Brasil. Revista Híbrida, Disponível em: https://revistahibrida.com.br/2020/04/19/como-a-colonizacao-tentou-apagar-as-sexualidades-indigenas-no-brasil/ Acesso em 25/03/2021.

LAMPIÃO DA ESQUINA – EDIÇÃO 8. Rio de Janeiro: Lampião, ano 1, n. 8, jan. 1979. Disponível em: https://www.ibdsex.org.br/collection/lampiao-da-esquina-edicao-8/. Acesso em: 30 março. 2021.

MINDLIN, Betty. Moqueca de maridos: mitos eróticos indígenas. 1 ed.. São Paulo: Paz e Terra, 2014.

RAMINELLI, Ronald; SILVA, Bruno da. Teorias e imagens antropológicas na Viagem Filosófica de Alexandre Rodrigues Ferreira (1783-1792). Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi. Ciênc. Hum, v. 9, n. 2, p. 323-342, 2014.

RIBEIRO JÚNIOR, Benedito Inácio. Estudos queer na historiografia brasileira (2008-2016). In: História e teoria queer. 1ª ed. Salvador, BA: Editora Devires, 2018.

SILVA, Edson. Povos indígenas: Culturas e o ensino a partir da lei 11.645. Revista Historien UPE/Petrolina, v. 7, p. 39-49, 2012. Publicado in: www.revistahistorien.com Acesso em: 30/03/2021.

Silva, P. B. G. e. (2008). Aprender, ensinar e relações étnico-raciais no Brasil. Educação, 30(3). Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/2745

SOCIOAMBIENTAL. COVID-19 e os Povos Indígenas. 2020. Disponível em: https://covid19.socioambiental.org/?gclid=Cj0KCQjw3duCBhCAARIsAJeFyPWTjRR7jCL8BZ7RzTeocobzJZrPud1u2DzelPMc0ch66JhAtBW8Td0aAnsNEALw_wcB. Acesso em: 21/03/ 2021.

TREVISAN, João Silvério. Devassos no paraíso: a homossexualidade no Brasil, da colônia à atualidade. 4ª ed - Rio de Janeiro: Objetiva, 2018.

TRINDADE, Ronaldo. A invenção do ativismo LGBT no Brasil: Intercâmbios e ressignificações. In: História do Movimento LGBT no Brasil. 1 ed. São Paulo: Alameda, 2018.

UOL. Primeira vítima de homofobia registrada no Brasil foi índio morto em 1614. Universa. Diversidade. Disponível em: https://www.uol.com.br/universa/noticias/redacao/2019/04/01/indio-tupinamba-lgbt-foi-a-primeira-vitima-de-homofobia-no-brasil.htm?cmpid=copiaecola . Acesso em: 04/04/2021.

Downloads

Publicado

25/02/2022

Como Citar

Alves, I. N. C., & Costa, M. M. S. (2022). A colonização das sexualidades indígenas e a história da educação (sexual) no Brasil. WEB REVISTA LINGUAGEM, EDUCAÇÃO E MEMÓRIA, 1(20), 109–132. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/WRLEM/article/view/6114