Concepção da equipe gestora e corpo docente de uma escola municipal de tempo integral sobre Educação em Direitos Humanos e gênero

Autores

Palavras-chave:

Educação em Direitos Humanos, gênero, gestão escolar, formação de professores(as), Educação Básica.

Resumo

Enquanto produto de uma pesquisa realizada no contexto de uma escola municipal em tempo integral do primeiro ciclo do Ensino Fundamental da cidade de Marília/SP, este artigo tem como objetivo analisar a concepção de parte da equipe gestora e de seu corpo docente sobre a Educação em Direitos Humanos e gênero. Subsidiando-se nos procedimentos metodológicos de pesquisa bibliográfica, documental e pesquisa de campo, a metodologia delineada foi de cunho qualitativo e interpretativo. No trabalho de campo, a entrevista semiestruturada e a técnica de Análise de Conteúdo nortearam, respectivamente, a coleta e a análise dos dados. Foram sujeitos da pesquisa os(as) participantes que responderam as entrevistas o Diretor, a Vice-diretora, duas Professoras Coordenadoras pedagógicas e duas Professoras que ministram Oficinas de Direitos Humanos. Como resultados, constatamos que os sujeitos participantes possuem apenas noções e conceitos mais introdutórios sobre direitos humanos e gênero, porém estão cientes da importância de um trabalho pedagógico que contemplem tais temas. Ainda assim, palavras e argumentos proferidos por eles distanciam-se das produções acadêmicas sobre os temas e do discurso presente nos documentos oficiais, comprovando que há necessidade de investimento na formação de toda a equipe escolar.

Biografia do Autor

Luceli Aparecida Callé, Universidade Estadual Paulista (UNESP)

Pedagoga (2002) e Mestra em Educação (2019) pela Faculdade de Filosofia e Ciências (FFC/UNESP) de Marília. Professora Efetiva do Ensino Fundamental Ciclo I na Rede Municipal de Educação de Marília/SP

Matheus Estevão Ferreira da Silva, Universidade Estadual Paulista (UNESP)

Pedagogo (2018) e mestrando em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Faculdade de Filosofia e Ciências (FFC/UNESP) de Marília

Referências

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2002.

BENEVIDES, M. V. Educação em Direitos Humanos: de que se trata?. São Paulo, FE-USP, 2000 (palestra de abertura do Seminário de Educação em Direitos Humanos).

BENEVIDES, M. V. Direitos humanos: desafios para o século XXI.In: SILVEIRA, R. M. G. et al. Educação em Direitos Humanos: fundamentos teórico-metodológicos. João Pessoa: Editora Universitária, 2007. p. 335-350.

BRABO, T. S. A. M. Gênero e poder local. São Paulo: Humanitas, FAPESP, 2008.

BRABO, T. S. A. M. Movimentos sociais e educação: feminismo e equidade de gênero. In: DAL RI, N. M.; BRABO, T. S. A. M. (Org.). Políticas educacionais, gestão democrática e movimentos sociais. Marília: Oficina Universitária/Cultura Acadêmica, 2015. p. 109-128.

BRASIL. Ministério da educação, conselho nacional de educação. Resolução nº 1, de 30 de maio de 2012. Estabelece diretrizes nacionais para a Educação em Direitos Humanos. CNE/CP: Diário Oficial da União, Brasília, DF, 2012.

BRASIL. Comitê Nacional de Educação em Direitos Humanos. Plano nacional de Educação em Direitos Humanos. Brasília, DF: Secretaria de Direitos Humanos; Ministério da Educação; UNESCO, 2007.

BRASIL. Comitê Nacional de Educação em Direitos Humanos. Plano nacional de Educação em Direitos Humanos. 2. ed. Brasília, DF: Secretaria de Direitos Humanos; Ministério da Educação; UNESCO, 2013.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: pluralidade cultural, orientação sexual. Brasília, DF: SEF/ MEC, 1997.

CARVALHO, M. E. P. O que essa história tem a ver com as relações de gênero? Problematizando o gênero no currículo e na formação docente. In: CARVALHO, M. E. P.; PEREIRA, M. Z. da C., (Orgs.). Gênero e educação: múltiplas faces. João Pessoa: NIPAM/Editora Universitária/UFPB. 2003.

CASTRO, R. P. de. Educação, relações de gênero e sexualidades: experiências de estudantes de pedagogia. Revista da FAEEBA – Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 25, n. 45, p. 203-214, jan./abr., 2016.

FRANCO, M. L. P. B. Análise de conteúdo. 3. ed. Brasília, DF: Liber, 2008.

FURLANI, J. Educação sexual na sala de aula: relações de gênero, orientação sexual e igualdade étnico-racial numa proposta de respeito às diferenças. Belo Horizonte: Autêntica, 2016.

JUNQUEIRA, R. D. Homofobia nas escolas: um problema de todos. In: JUNQUEIRA, R. D. (Org.). Diversidade sexual na educação: problematizações sobre a homofobia nas escolas. Brasília: Ministério da Educação; Secretária de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade; UNESCO, 2009.

MACIEL, T. S. Educação em direitos humanos: concepções de professores de educação infantil. 2018. 201 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, UNESP, Marília, 2018.

PIROTTA, K. C. M.; BARBOZA, R.; PUPO, L. R.; CAVASIN, S.; UNBEHAUM, S. Educação sexual na escola e direitos sexuais e reprodutivos: avaliação da política da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo – 2001 a 2005. ECOS, São Paulo, online, 2007.

ROSA, M. V. F. P. C; ARNOLDI, M. A. G. C. A entrevista na pesquisa qualitativa: mecanismos para validação dos resultados. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

SILVA, Matheus Estevão Ferreira da; BRABO, Tânia Suely Antonelli Marcelino. A introdução dos papéis de gênero na infância: brinquedo de menina e/ou de menino?. Revista Trama Interdisciplinar, São Paulo, v. 7, n. 3, p. 127-140, set./dez., 2016.

SILVA, M. E. F. da; BRABO, T. S. A. M.; MORAIS, A. de. Gênero na formação em Pedagogia: concepções de futuras(os) docentes a partir de cinco conceitos. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 37, e234142,p. 1-22, 2021.

SILVA, M. E. F. da; BRABO, T. S. A. M.; SHIMIZU, A. de Morais. Avanços e retrocessos nas políticas públicas educacionais contemporâneas: censuras e supressões referentes a gênero e sexualidades em documentos oficiais de educação (1997-2015). Educação em Debate, v. 41, n. 80, set./dez., p. 93-110, 2019.

TELES, M. A. A. O que são os direitos humanos das mulheres. São Paulo: Brasiliense, 2007.

VENTURINI, A. M.; BARBOSA, A. L. dos S.; SILVA, R. de C. de S. da. O que dizem os marcos legais para abordagem de gênero e sexualidades na escola?. In: Seminário Internacional Enlaçando Sexualidades, 5., 2017, Salvador. Anais... Salvador: UNEB, 2017. p. 1-8.

VIANNA, C. P. Gênero, sexualidade e cultura escolar: desafios para as políticas e práticas educativas. In: BRABO, T. S. A. M. (Org.). Gênero, educação, trabalho e mídia. São Paulo: Ícone, 2010. p. 151-171.

VIANNA, C. P.; UNBEHAUM, S. Diferenças, desigualdades e conflitos de gênero nas políticas educacionais: o caso do PNE. In: BRABO, T. S. A. M. (Org.). Gênero e educação: lutas do passado, conquistas do presente e perspectivas futuras. São Paulo: Ícone: 2007. p. 118-149.

Downloads

Publicado

25/02/2022

Como Citar

Callé, L. A., & Silva, M. E. F. da. (2022). Concepção da equipe gestora e corpo docente de uma escola municipal de tempo integral sobre Educação em Direitos Humanos e gênero. WEB REVISTA LINGUAGEM, EDUCAÇÃO E MEMÓRIA, 1(20), 53–74. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/WRLEM/article/view/6118