Ética, política e corrupção: Um diálogo possível?

Guilherne Alexandre Monteiro da Silva, Marcelo Vilela Silva Barros

Resumo


A política, arte de organizar a polis é tão antiga quanto a própria sociedade, e surge, ao menos na perspectiva grega, como exercício de uma ética coletiva, aceita por um grupo de indivíduos. Paralelamente à atividade política, surge a corrupção, um fenômeno de causas ainda pouco conhecidas, mas que também demonstra raízes éticas. A corrupção tende a se nos apresentar como a não apropriação da ética coletivamente escolhida, a opção por uma ética pessoal. Pressupostos de indivíduos racionais e livres, a corrupção tenciona-se sempre entre a possibilidade da escolha entre o benefício pessoal ou o benefício comunitário.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN - 2318-7034

Curso de Direito da UEMS - Unidade Universitária de Dourados

Núcleo de Estudos e Pesquisas em Direito, Estado, Constituição e Direitos Fundamentais e Humanos - UEMS