(Con)tradição e (des)caminhos: teatro e sociedade em Nossa Vida Não Vale Um Chevrolet, de Mário Bortolotto

Autores

  • Gracy Kely Nonato Ruiz Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Wagner Corsino Enedino Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Palavras-chave:

Teatro brasileiro contemporâneo, personagem, marginalidade.

Resumo

A contemporaneidade, rompendo com valores tradicionais e abrindo espaço para novos estilos e estética, possibilitou outros (des)caminhos no meio artístico, em que a arte está cada vez mais próxima da realidade. Nesse sentido, o teatro também inovou, especialmente, sobre sua função social; trazendo para o proscênio temas que representam as diferentes camadas de uma sociedade em constante transformação. Com efeito, ancorando-se nas contribuições de Magaldi (1998), Ryngaert (1996) e Pallottini (1989) acerca das noções que configuram o discurso teatral; nos estudos de Enedino (2009) sobre o conceito de marginalidade e nos pressupostos teóricos de Lins (1990) e Ginzburg (2012) no que se refere ao conceito de violência, o objetivo deste trabalho é refletir sobre a constituição das personas inscritas na peça Nossa vida não vale um Chevrolet (2008), do dramaturgo paranaense Mario Bortolotto. Estão contempladas no texto questões de poder e representações sociais a partir dos discursos das personagens, em consonância com os pressupostos teóricos de Ubersfeld (2005). Cumpre destacar que o presente artigo busca, como princípio analítico, a compreensão dos modos de estruturação do projeto estético de Bortolotto, que, influenciado pelo cinema, música e pela cultura beatnik, aproxima-se dos considerados outsiders.

 

Biografia do Autor

Gracy Kely Nonato Ruiz, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Mestranda em Letras na Universidade Federral de Mato Grosso do Sul.

Wagner Corsino Enedino, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutor em Letras pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - UNESP/IBILCE.

Professor Adjunto da Universidade Federal de Mato Grosso do SUl.

Referências

BORTOLOTTO, Mário. Nossa vida não vale um Chevrolet. São Paulo: Via lettera, 2008.

_______. Seis peças de Mário Bortolotto. São Paulo: s.e., 1997.

CANDIDO, Antonio. Literatura e sociedade: estudos de teoria e história literária. 7 ed. São Paulo: Ed. Nacional, 1985.

D’ONOFFRIO, Salvatore. Forma e sentido do texto literário. São Paulo: Ática, 2007.

_______. Metodologia do trabalho intelectual. São Paulo: Atlas, 1999.

EAGLETON, Terry. Teoria Literária: uma introdução. Tradução Waltensir Dutra. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

ENEDINO, Wagner Corsino. Entre o limbo e o gueto: literatura e marginalidade em Plínio Marcos. Campo Grande: Editora UFMS, 2009.

FARIA, João Roberto. O teatro na estante. São Paulo: Ateliê, 1998.

GINZBURG, Jaime. Crítica em tempos de violência. São Paulo: Edusp; Fapesp, 2012.

LINS, Ronaldo Lima. Violência e literatura. Rio de Janeiro: Tempo brasileiro, 1990.

MAGALDI, Sábato. Iniciação ao teatro. 7. ed. São Paulo: Ática, 1998.

_______. Panorama do teatro brasileiro. 6. Ed. São Paulo: Global, 2004.

PALLOTTINI, Renata. Dramaturgia: a construção do personagem. São Paulo: Ática, 1989.

PASCOLATI, Sonia. O Artista e o estado da arte na mira de Mario Bortolotto. In: DA SILVA, Agnaldo; ENEDINO, Wagner Corsino. (Orgs.). Do texto à cena – entre o teatro grego e o moderno teatro brasileiro. Campinas-SP: Pontes Editores, 2014, p. 255-283.

PRADO, Décio de Almeida. A personagem no teatro. In: CANDIDO, Antonio. A personagem da ficção.[et. al]. São Paulo: Perspectiva, 2009, p. 81-101.

RYNGAERT, Jean-Pierre. Ler teatro contemporâneo. Tradução de Andréa Stahel M. da Silva. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

SCHILLER, Friedrich. Teoria da tragédia. Introdução e notas de Anatol Rosenfeld. São Paulo: EPU, 1991.

UBERSFELD, Anne. Para ler o teatro. Tradução de José Simões. São Paulo: Perspectiva, 2005.

Downloads

Publicado

04/04/2017

Como Citar

Ruiz, G. K. N., & Enedino, W. C. (2017). (Con)tradição e (des)caminhos: teatro e sociedade em Nossa Vida Não Vale Um Chevrolet, de Mário Bortolotto. REVELL - REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS DA UEMS, 1(15), 319–340. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/REV/article/view/1510