Literatura, Oratura e Oralidade na Performance do Tempo

Autores

  • Michele Freire Schiffler Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Investigadora de Pós-Doutoramento em Linguística Capes/Fapes (processo nº 70984425). http://orcid.org/0000-0001-9198-468X

Palavras-chave:

literatura, oralidade, performance, estudos culturais.

Resumo

O presente artigo pretende trazer uma contribuição para discussões em torno da literatura, da oralidade e dos estudos de performance. Para tanto, faz uma revisão teórica com vistas à defesa da complexidade do campo da oralidade a partir de uma abordagem epistemológica híbrida e interdisciplinar. Em diálogo com os estudos culturais, as culturas de matrizes africanas são contempladas neste estudo, ao tratar traços distintivos da oralidade que evidenciam a riqueza, os saberes e a luta de comunidades que tem na oralidade uma de suas formas de expressão, significação e cultura.

Biografia do Autor

Michele Freire Schiffler, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Investigadora de Pós-Doutoramento em Linguística Capes/Fapes (processo nº 70984425).

Natural do Rio de Janeiro, RJ, Michele Freire Schiffler possui graduação em Letras (Português/Espanhol) pela Universidade Federal de São Carlos (2002) e mestrado em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (2006). Doutora em Letras pela Universidade Federal do Espírito Santo, realizou pesquisas junto ao Centro de Estudos Africanos do ISCTE, Portugal. Atualmente, é investigadora de Pós-Doutoramento em Linguística pela Universidade Federal do Espírito Santo, com projeto de pesquisa financiado pela Capes/Fapes (processo nº 70984425).

Dentre suas principais publicações destacam-se artigos nas áreas de performances culturais, estudos africanos, estudos culturais, filosofia da linguagem e linguística aplicada. É autora do livro “Literatura Oral e Performance: identidade e ancestralidade no Ticumbi de Conceição da Barra, ES”, de 2016, e de artigos como “O Riso Ambivalente e o Mundo ao Revés: a atualidade de Bakhtin para os estudos da cultura popular quilombola”, “Dialogismo, Colonialidade e Outras Narrativas de Nação”, de 2016, “Ticumbi e Performance: o real e o fantástico na escrita do corpo”, “A Identidade em Performance no Ticumbi de São Benedito”, “ Identidade, ancestralidade e resistência no Ticumbi de São Benedito”, de 2015.

Referências

AMADOU, Safiatou. Relatos épicos y cultura del pueblo zarma-songhay de Níger. Oráfrica, n. 8, p. 129-140, abr. 2012.

BONVINI, Emilio. Textos Orais e Textura Oral. In: QUEIROZ, Sonia (Org.) AA Tradição Oral. Belo Horizonte: FALE / UFMG, 2006. p. 7-11.

COOPER, Barbara M. Oral Sourcers and the Challenge of African History. In: PHILIPS (Ed.). John Edward. Writing African History. Rochester: University of Rochester Press, 2005. p. 191-215.

FINNEGAN, Ruth. O Significado da Literatura em Culturas Orais. In: A Tradição Oral. Belo Horizonte: Fale/UFMG, 2006. p. 66-106.

FONSECA, António. Contribuição ao Estudo da Literatura Oral Angolana. Luanda: Instituto Nacional do Livro e do Disco, 1996.

ORTEGA, Ángel Antonio López. La Poesía Oral de los Países de la Guinea Ecuatorial: géneros y funciones. Barcelona: Ceiba, 2008.

____. Del Silencio Milenario al Reino de la Escritura. Relaciones de la poesia oral con la escritura. Oráfrica, n. 8, p. 65-76, abr. 2012.

____. Canciones para Dormir a los Niños. Barcelona: Ceiba ediciones. Disponível em: www.ceiba.net. Acesso em: 2 de setembro de 2013.

QUEIROZ, Amarino de Oliveira. As Inscrituras do Verbo: dizibilidades performáticas da palavra poética africana. Recife, 2007. 310 f. Tese (Doutorado em Teoria da Literatura) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife; 2007.

ROSÁRIO, Lourenço Joaquim da Costa. A Narrativa Africana de Expressão Oral. Lisboa: Instituto de Cultura e Língua Portuguesa; Luanda: Angolê, 1989.

SCHIPPER, Mineke. Literatura Oral e Oralidade Escrita. In: A Tradição Oral. Belo Horizonte: Fale/UFMG, 2006. p. 12-26.

ZUMTHOR, P. A Letra e Voz: a “literatura” medieval. Tradução de: Amálio Pinheiro & Jerusa Pires Ferreira. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

____. Performance, Recepção, Leitura. 2.ed. São Paulo: Cosac Naif, 2007.

Downloads

Publicado

2017-09-05

Como Citar

Schiffler, M. F. (2017). Literatura, Oratura e Oralidade na Performance do Tempo. REVELL - REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS DA UEMS, 2(16), 112–134. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/REV/article/view/1556