A recepção crítica e historiográfica da ficção decadente na França e no Brasil: convergências e inconsistências

Daniel Augusto Pereira Silva

Resumo


Neste artigo, temos como objetivo analisar as principais tendências da recepção crítica e historiográfica da ficção decadente na França e no Brasil, desde as décadas finais do século XIX até a segunda metade do XX. Partimos da hipótese de que, nos dois países, as reflexões sobre a literatura decadente tiveram focos bastante semelhantes. Na explicitação dos juízos sobre essa produção literária, observamos, pelo menos, três recorrências: a instabilidade terminológica e conceitual de grande parte dos estudos literários em relação à decadência literária; a avaliação negativa da linguagem das obras decadentes, acusadas de serem obscuras e ininteligíveis; e a acusação de que, nas letras brasileiras, a ficção decadente seria fruto de uma influência estrangeira, sobretudo de base francesa. Para cada um desses pontos, propomos uma outra leitura da decadência literária.


Palavras-chave


Ficção decadente; Decadentismo; Écriture artiste; Literatura brasileira; Literatura francesa.

Texto completo:

PDF

Referências


BOSI, Alfredo. História concisa da Literatura Brasileira. São Paulo: Cultrix, 2006 [1970].

CAROLLO, Cassiana Lacerda. Decadismo e Simbolismo no Brasil: crítica e poética. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos Editora, 1980.

CARVALHO, Ronald de. Pequena história da literatura brasileira. Rio de Janeiro: F. Briguet & C. Editores, 1937 [1919].

CASANOVA, Pascale. A República Mundial das Letras. Tradução de Marina Appenzeller. São Paulo: Estação Liberdade, 2002 [1999].

CATHARINA, Pedro Paulo Garcia Ferreira. Quadros literários fin-de-siècle: um estudo de Às avessas, de Joris-Karl Huysmans. Rio de Janeiro: 7Letras, 2005.

COUTINHO, Luiz Edmundo Bouças. Romantismo/Decadentismo: gêmeos sinistros? In: COUTINHO, Luiz Edmundo Bouças; FARIA, Flora de Paoli (Orgs.). Faces rituais da poesia. Rio de Janeiro: Confraria do Vento, 2010.

CRESSOT, Marcel. La phrase et le vocabulaire de J.-K, Huysmans. Contribution à l’Histoire de la langue française pendant le dernier quart du XIXe siècle. Paris: Librairie E. Droz, 1938.

FERNANDES, Marcelo José Fonseca. O conto simbolista no Brasil – seguido de antologia comentada. Tese (Doutorado) – UFRJ/Faculdade de Letras/ Programa de Pós-Graduação em Letras Vernáculas (Literatura Brasileira), Rio de Janeiro, 2014.

HURET, Jules. Enquête sur l’évolution littéraire. Paris : Bibliothèque Charpentier, 1891.

HUYSMANS, J.-K. Là-bas. Paris: Garnier-Flammarion, 1987 [1891].

JOUVE, Séverine. Les Décadents : bréviaire fin de siècle. Paris: Plon, 1989.

LEVIN. Orna Messer. As figurações do dândi; um estudo sobre a obra de João do Rio. Campinas. Editora da Unicamp, 1996.

LOCMANT, Patrice. La littérature selon J.-K. Huysmans. In : HUYSMANS, Joris-Karl. Écrits sur la littérature (présentés et commentés par Patrice Locmant). Paris: Hermann, 2010, p. 5-25.

MARQUÈZE-POUEY, Louis. Le mouvement décadent en France. Paris: PUF, 1986.

MERQUIOR, José Guilherme. De Anchieta a Euclides: breve história da literatura brasileira. São Paulo: É Realizações, 2014 [1978].

MICHAUD, Guy. Message poétique du symbolisme. Paris: Nizet, 1966 [1947].

MITTERAND, Henri. De l’écriture artiste au style décadent. In: ANTOINE, Gérald; MARTIN, Robert. Histoire de la langue française (1880-1914). Paris: CNRS Éditions, 1985, p. 467-477.

MORETTO, Fulvia M. L. (Org.) Caminhos do Decadentismo Francês. São Paulo: Perspectiva: Editora da Universidade de São Paulo, 1989.

MUCCI, Latuf Isaias. Ruína e simulacro decadentista: uma leitura de Il Piacere, de D’Annunzio. Rio de Janeiro: Tempo brasileiro, 1994.

MURICY, Andrade. Panorama do movimento simbolista brasileiro. Brasília: Conselho Federal de Cultura e Instituto Nacional do Livro, 1973 [1951].

PALACIO, Jean de. La Décadence: le mot et la chose. Paris: Les Belles Lettres/essais, 2011.

PEREIRA, Lúcia Miguel. Prosa de ficção: história da literatura brasileira (de 1870 a 1920). Belo Horizonte/São Paulo: Itatiaia/EdUSP, 1988 [1950].

PETY, Dominique. Les Goncourt et la collection : de l’objet d’art à l’art d’écrire. Paris : Droz, 2003.

PIERROT, Jean. L’Imaginaire décadent (1880-1900). Rouen : Publications des Universités de Rouen et du Havre, 1977.

PLOWERT, Jacques. Petit glossaire pour servir à l’intelligence des auteurs décadents et symbolistes. Paris: Bibliopole Vanier, 1888.

PRAZ, Mario. A carne, a morte e o diabo na literatura romântica. Campinas: Editora da UNICAMP, 1996 [1933].

SALGADO, Marcus Rogério Tavares Sampaio. A vida vertiginosa dos signos: recepção do idioleto decadista na belle époque tropical. Dissertação (Mestrado em Letras Vernáculas) – Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2006.

SCHMID, Marion. Proust dans la décadence. Paris: Honoré Champion, 2008.

SILVA, Daniel Augusto P. Linguagens do insólito: a construção estilístico-textual do grotesco na ficção decadente. Revista Abusões, v. 5, 2017, p. 230-258.

SILVA, Daniel Augusto P. A prosa de ficção decadente brasileira e francesa (1884-1924): uma poética negativa. Dissertação (Mestrado em Teoria da Literatura e Literatura Comparada) – Instituto de Letras, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2019.

SÜSSEKIND, Flora. O Figurino e a Forja. In: CARVALHO, J. M. et al. Sobre o pré-modernismo. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 1998.

VERÍSSIMO, José. Estudos de Literatura Brasileira: Primeira série (1895-1898). Rio de Janeiro: Garnier, 1901.

WINOCK, Michel. Décadence fin de siècle. Paris: Gallimard, 2017.




Direitos autorais 2019 REVELL - REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS DA UEMS

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Editor-chefe: Professor Doutor Andre Rezende Benatti

ISSN: 2179-4456