Corpos subalternos: domínio e opressão dos corpos de mulheres angolanas na poesia de Paula Tavares

Érica Patricia Rodrigues de Sousa

Resumo


O presente trabalho tematiza as significações das representações de corpos de mulheres articuladas pelas relações de gênero, a partir da obra Amargos como os frutos (2011), da poeta angolana Paula Tavares. Tem como foco o corpo subalterno, lido com vistas a compreender os sentidos e as estruturas das significações de cada eixo analítico: gênero, corpo e sexualidade. O objetivo geral do trabalho foi pesquisar representações de mulheres em diferentes processos de anulação da autonomia sociopolítica e afetiva, articuladas na relação delas com seus próprios corpos e com aqueles do sexo masculino, além de serem confrontadas com paradigmas culturais de comportamentos naturalizados e estabelecidos para mulheres e homens na sociedade angolana. O estudo possui como objetivos específicos: investigar, na poesia de Paula Tavares, formas de domínio do masculino sobre o feminino; averiguar se há representações de insubordinação da sexualidade feminina nos poemas da autora, de forma a perceber se os limites postos para os comportamentos entre os gêneros podem ser transpostos. Fazem parte do marco teórico que subsidiou esta pesquisa, autores como Beauvoir (1967), Bourdieu (2002), Butler (2003), Ducados (2004), Grassi (2001), Machado (2000), Saffioti (1987, 2004), Santos (2002) e Silva (2009, 2011). Sobre a produção poética de Paula Tavares, houve a contribuição de teóricos como Mantolvani (2016), Matta (2011), Secco (2011, 2013) e Souza (2010). As categorias adotadas para a análise foram: corpo, gênero, patriarcado e subalternidade. O pressuposto do problema de pesquisa parte da seguinte questão: como mulheres oprimidas são representadas pela poesia de Paula Tavares na obra Amargos como frutos? A metodologia utilizada neste trabalho foi pesquisa bibliográfica qualitativa, orientada pelo eixo de análise da submissão feminina.


Palavras-chave


gênero; sexualidade; corpo; patriarcado, poética; Paula Tavares.

Texto completo:

PDF

Referências


AVILA, Mara Regina Avila de. Pela poesia de Ana Paula Tavares: vozes e ecos de Angola em África. 2010. 203f. Dissertação (Mestrado em História da Literatura) – Instituto de Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande, Rio Grande, 2010. Disponível em: https://ppgletras.furg.br/images/Dissertacoes_pdfs/MaraRegina.pdf. Acesso em: 14 jul. 2020.

BEAUVOIR, Simone. O segundo sexo: a experiência vivida. 2. ed. Trad. de Sérgio Milliet. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1967. Disponível em: https://app.box.com/s/u40vdemu1g53y67xjlaaqdwmajvtgesd. Acesso em: 14 jul. 2020.

BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. 2. Ed. Trad. de Maria Helena Kuhner. Rio de janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Trad. de Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

DUCADOS, Henda. A mulher angolana após o final do conflito. In: ACCORD. Da paz militar à justiça social? O processo de Paz angolano. Londres, Conciliation Resources, 2004. Disponível em: http://www.c-r.org/sites/default/files/Accord15_Port.pdf. Acesso em: 5 jun. 2020.

GRASSI, Marzia. Género, Desigualdades Sociais e Desenvolvimento na África Subsaariana: o caso de Angola. Publicações, Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, 2001. Disponível em: http://www.ics.ul.pt/rdonweb-docs/Marzia%20Grassi%20%20Publica%C3%A7%C3%B5es%202001,%20n%C2%BA1.pdf. Acesso em: 12 nov. 2019.

MACHADO, Emília; PARREIRAS, Ninfa; SALEK, Vânia; ROCHA, Mariucha. Da África e sobre a África: textos de lá e de cá. São Paulo: Cortez, 2012.

MACHADO, Lia Zannota. Perspectivas em confronto: Relações de gênero ou patriarcado contemporâneo? Brasília: UNB, 2000. Disponível em: http://www.compromissoeatitude.org.br/wp-content/uploads/2012/08/MACHADO_GeneroPatriarcado2000.pdf. Acesso em: 10 jul. 2020.

MANTOLVANI, Rosângela. Escrita de mulheres. Assis: USP, 2003. Disponível em: http://escrita-das-mulheres.blogspot.com.br/2007/01/escrita-das. Acesso em: 10 jul. 2016.

MATTA, Inocência. Prefácio à edição Portuguesa: Passagem para a diferença. In: TAVARES, Paula. Amargos como os frutos: poesia reunida. Rio de Janeiro: Pallas, 2011.

PEREIRA, Aline. CODESRIA: contributo das angolanas para a construção de um espaço público de discussão em Angola: a força das organizações de mulheres. ISCTE, Universidade de Lisboa, 2008. Disponível em: file:///C:/Users/Usuario/Downloads/Aline_Afonso_Pereira.pdf.

Acesso em: 8 abr. 2020.

SAFFIOTI, Heleieth Iara Bongiovani. O poder do macho. São Paulo: Moderna, 1987.

SAFFIOTI, Heleieth Iara Bongiovani. Gênero, patriarcado e violência. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2004.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Para um novo senso comum: a ciência, o direito e a política na transição paradigmática. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

SCAVONE, Lucila. A maternidade e o feminismo: diálogo com as ciências sociais. Cadernos Pagu, p. 137-150., 2001. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cpa/n16/n16a08.pdf. Acesso em: 25 jun. 2020.

SECCO, Carmen Lucia Tindó. As veias Pulsantes da terra e da poesia. In: TAVARES, Paula. Amargos como os frutos: poesia reunida. Rio de Janeiro: Pallas, 2011.

SECCO, Carmen Lucia Tindó. A literatura e a arte em Angola na Pós-Independência. In: Conexão Letras. As línguas & as literaturas de língua portuguesa e brasileira. Programa de Pós-Graduação do Instituto de Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. v. 8, n. 9. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2013. Disponível em: http://www.artistasgauchos.com/conexao/09.pdf. Acesso em: 10 ago. 2019.

SILVA, Eugénio Alves. Educação em Angola e (des) igualdade de género: quando a tradição cultural é factor de exclusão. In: Actas do X Congresso Internacional Galego-Português de Psicopedagogia. Braga: Universidade do Minho, 2009. Disponível em: https://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/16492/1/EDUCA%C3%87AO%20ANGOLA%20DESIGUALDADE%20GENERO.pdf. Acesso em: 8 jun. 2020.

SILVA, Eugénio Alves. Tradição e identidade de género em Angola: ser mulher no mundo rural. In: Revista Angolana de Sociologia, n. 8, p. 21-34 dez. 2011. Disponível em: https://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/20538/1/RAS-N8-DEZ2011.pdf. Acesso em: 2 maio 2020.

SOUZA, Mailza Rodrigues Toledo e. O Erotismo e as Representações do Feminino em “Ritos de Passagem”, de Paula Tavares. In: Interdisciplinar: Revista de Estudos de língua e literatura, ano 5, v. 10, jan./jun. 2010. p. 133-144. Disponível em: https://seer.ufs.br/index.php/interdisciplinar/article/view/1261. Acesso em: 14 jul. 2020.

TAVARES, Ana Paula. Amargos como os frutos: poesia reunida. Rio de Janeiro: Pallas, 2011.




Direitos autorais 2021 REVELL - REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS DA UEMS

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Editor-chefe: Professor Doutor Andre Rezende Benatti

ISSN: 2179-4456