Crime na Calle Relator: o estatuto do herói e do narrador do poema narrativo moderno EM João Cabral de Melo Neto

Autores

  • Wilquer Quadros dos Santos Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul/UEMS

Palavras-chave:

Poema narrativo moderno, Crime na Callle Relator, João Cabral de Melo Neto.

Resumo

A manifestação do poema narrativo clássico contava como a representação em verso de ações e feitos heróicos de homens ilustres, sob um rígido código prescritivo, em que se intentava a promulgação dos valores da sociedade de costume. Entretanto, com o passar do tempo e as transformações sócio-culturais, houve relevante transformação na produção, compreensão e avaliação desses poemas, as quais poderão implicar importantes questionamentos a respeito do gênero. No lugar do herói valente, corajoso, ilustre e valoroso da épica clássica surge o herói comum, vil, indolente, ridículo, oriundo das mais diversas classes da sociedade burguesa. O narrador, por sua vez, abandona o encômio e não mais se coaduna com os feitos do herói do poema narrativo e, ao afastar-se dos valores por ele representados, encontra na crítica, na censura e na sátira a medida de sua intervenção na sociedade de costume. Com base nos estudos de Hansen (2008), Sales (2009) e Moisés (1974), intentamos desvelar as marcas que tensionam a obra Crime na Calle Relator, de João Cabral de Melo Neto, entre a tradição clássica e a moderna do gênero, e destacar a sedimentação do poema narrativo moderno.

 

Biografia do Autor

Wilquer Quadros dos Santos, Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul/UEMS

Professor Assistente convocado da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul / Unidade de Aquidauana-MS. Possui graduação em Letras-Licenciatura - Hab. Português e Literatura pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2007). Mestre em Letras - Área de concentração em Estudos Literários - pela UFMS (2011). Realiza pesquisa sobre o poema narrativo moderno no Brasil, Poéticas contemporâneas e João Cabral de Melo Neto.

 

Referências

ARISTÓTELES. A poética clássica. Trad. Jaime Bruna. São Paulo: Cultrix, 1992, p. 19– 52

ARISTÓTELES. Arte retórica e arte poética. Trad: Antonio Pinto de Carvalho. Rio de Janeiro: Tecnoprint, 1994.

BARBOSA, João Alexandre. A lição de João Cabral. In:______ Cadernos de Literatura Brasileira. São Paulo: Instituto Moreira Sales, p. 62-105, 1ª ed. março 1996.

BRANDERELLO, Sara. A Revisão da História oficial em Crime na Calle Relator. In:_____. Revista USP. n. 67. São Paulo: 2005, p. 317-320.

CANDIDO, Antonio e CASTELLO, J. Aderaldo. Presença da Literatura Brasileira: Modernismo. 3. ed. São Paulo: Difusão Européia do livro, 1968. v. 3.

CASTELLO, José Aderaldo. A Literatura Brasileira. Origens e Unidade. São Paulo: Edusp, 1999.

MELO NETO, João Cabral de. Obra completa. 1 ed. 4 reimp. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2003.

MOISÉS, Massaud. Criação Literária: Introdução à problemática da literatura. 5. ed. São Paulo: Melhoramentos, 1973

_____. Dicionário de termos literários. 2 ed. São Paulo: Cultrix, 1978.

OLIVEIRA, Marly. João Cabral de Melo Neto: Breve Introdução a uma leitura de sua Obra. In:____ Obra Completa. 1. ed. 4 reimp. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2003, p. 15-24

OLIVEIRA, Fernanda Ribeiro Queiroz. Canto e corte: a épica e o drama nas vozes de Cecília Meireles e João Cabral de Melo Neto. Goiânia: Ed. UFG, 2006

SALES, José Batista de. O poema narrativo no Brasil: Das origens a Mário de Andrade. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2009. (Relatório de Pós- doutoramento)

SALES, José Batista de, s.v. “Poema Narrativo”, E-Dicionário de Termos Literários, coord. de Carlos Ceia, ISBN: 989-20-0088-9, <http://www.edtl.com.pt>, consultado em 16-06-2011.

TEIXEIRA, Ivan. Aspectos do Pombalismo na Poesia. In: Mecenato Pombalino e Poesia Neoclássica. São Paulo: Edusp, 1999.

_____. As epopeias antigas. In: Os Lusíadas- Episódios. São Paulo: Ateliê Editorial, 2008.

Downloads

Publicado

29/04/2016

Como Citar

Quadros dos Santos, W. (2016). Crime na Calle Relator: o estatuto do herói e do narrador do poema narrativo moderno EM João Cabral de Melo Neto. REVELL - REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS DA UEMS, 2(11), 254–279. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/REV/article/view/681