UNIVERSIDADE NA SOCIEDADE: A CONSTRUÇÃO INTERSUBJETIVA DA IMAGEM DA FRONTEIRA

Fabricio Antonio Deffacci, Cristiane de Matos Balsalobre

Resumo


O objetivo deste trabalho é apresentar as ações realizadas no campo da extensão e como podem ser incorporadas em práticas de pesquisa direcionadas para pensar a imagem da fronteira entre Ponta Porã e Pedro Juan Caballero. As ações acontecem em um programa de rádio denominado Universidade na Sociedade que é realizado semanalmente. Neste programa são entrevistadas pessoas do meio acadêmico e da sociedade em geral. Nas entrevistas emergem temáticas centrais acerca da fronteira. A proposta aqui é expor e analisar as temáticas discutidas, formando um quadro geral de questões centrais e, junto a isso, indicar o modo como tais questões são apropriadas pelos indivíduos na composição de um campo intersubjetivo, com ênfase para a relação entre a Universidade e a Sociedade. Assim, a análise permitirá formar uma imagem da fronteira em seus avanços e desafios para o desenvolvimento regional.

Texto completo:

PDF

Referências


BUARQUE, Sérgio C. Metodologia de planejamento do desenvolvimento local e municipal sustentável. 2.ed. Recife: IICA, 1999.

CHAUÍ, Marilena. “A universidade pública sob nova perspectiva”, Conferência de abertura da 26ª reunião Anual da ANPED, Poço de Caldas, 5 de Outubro de 2003.

KAJIBANGA, Victor. “Ensino Superior e Dimensão Cultural de Desenvolvimento: reflexos sobre o papel do ensino superior em Angola”, Africana Studia, 3, 137-151, 2000.

KNORR-CETINA, K. ¿Comunidades científicas o arenas transepistémicas de investigación? Una crítica de los modelos cuasi-económicos de la ciencia. REDES, Vol. III, Nº 7, 129-160, 1996.

MANNHEIM, Karl. Karl Mannheim: sociologia. São Paulo: Ática, 1982.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A Crítica da Razão Indolente. Contra o Desperdício da Experiência. São Paulo: Cortez, 2000.

____. A Universidade no século XXI: Para uma reforma democrática e emancipatória da Universidade, 2004.

____. Produzir para Viver. Os Caminhos da Produção Não Capitalista. Colecção Reinventar a Emancipação Social. Volume 2. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.

____. Reconhecer para Libertar. Os Caminhos do Cosmopolitismo Multicultural. Colecção Reinventar a Emancipação Social. Volume 3. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.