AS RELAÇÕES ENTRE EDUCAÇÃO E ECONOMIA E IMPACTOS SOBRE A POLÍTICA DE REMUNERAÇÃO DOCENTE

Ricardo Senna

Resumo


RESUMO

 O artigo procura realizar uma reflexão sobre as relações entre educação, economia e desenvolvimento. O objetivo é buscar compreender as razões pelas quais a política educacional brasileira, em especial, a voltada para remuneração docente e valorização do magistério, encontra limitações para sua implementação. A pesquisa bibliográfica e documental e a pesquisa de dados secundários foram os procedimentos metodológicos adotados. Conclui-se que, dada a predominância de um Estado com inspirações liberais, a política educacional se submete à política econômica.

 

Palavras-chave: Política educacional. Economia. Educação. Desenvolvimento.

 


Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BARBOSA FILHO, F. H.; PESSOA, S. de A.; AFONSO, L. E. Um estudo sobre os diferenciais de remuneração entre os professores das redes pública e privada de ensino. Estudos Econômicos, vol. 39, nº 3, São Paulo, jul/set/2009.

CMMAD. COMISSÃO MUNDIAL SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO. Nosso futuro comum. 2ª Ed. Rio de Janeiro: Editora da FGV, 1991.

CURI, A. Z.; MENEZES-FILHO, N. A. A relação entre educação pré-primária, salários, escolaridade e proficiência escolar. In: Estudos Econômicos, São Paulo, v. 39, nº 4, p. 811-850, Outubro-Dezembro 2009.

DIAS, J.; DIAS, M. H. A. Crescimento econômico e as políticas de distribuição de renda e investimento em educação nos estados brasileiros: teoria e análise econométrica. Estudos Econômicos, vol. 37, nº 34, São Paulo, out./dez. 2007.

FERREIRA, P. C.; ISSLER, J. V. Educação e crescimento. In: FONTES, R. (Ed.) Estabilização e crescimento. Viçosa: UFV, 1997.

FIESP. Federação das Indústrias do Estado de São Paulo. Relatório Educação: gastos públicos e propostas de melhoria. São Paulo: FIESP/DECOMTEC, outubro/2010.

LAPO, F. R.; BUENO, B. O. Professores, desencanto com a profissão e abandono do magistério. Cadernos de Pesquisa, nº 118, março/2003.

LELIS, I. Profissão docente: uma rede de histórias. Revista Brasileira de Educação, nº 17, mai/jun/jul/ago/2001.

MENEZES-FILHO, N.; FERNANDES, R.; PICCHETTI, P. Educação e queda recente da desigualdade no Brasil. Disponível em: .

MILONE, P. C. Crescimento e desenvolvimento econômico: teorias e evidências empíricas. In: MONTORO FILHO, A. F. ET alli. Manual de economia. São Paulo: Saraiva, 1998.

MONLEVADE, J. A. C de. Valorização salarial dos professores – o papel do Piso Salarial Profissional como Instrumento de Valorização dos Professores da Educação Básica Pública. Campinas: UNICAMP, 2000. (Tese de Doutorado)

OLIVEIRA, C. B. E. de; ALVES, P. B. Ensino fundamental: papel do professor, motivação e estimulação no contexto escolar. Paidéia, vol. 15, nº 31, 2005.

PAES DE BARROS, R.; MENDONÇA, R. Investimentos em educação e desenvolvimento econômico. Rio de Janeiro: IPEA, 1997. (Texto Para Discussão nº 525)

POCHMANN, M. O emprego no desenvolvimento da nação. São Paulo: Boitempo. 2008.

POCHMANN, M. Financiamento da educação para o desenvolvimento. Palestra proferida na audiência sobre o Plano Nacional de Educação em Julho/2011.

RABELO, A. O. A remuneração do professor é baixa ou alta? Uma contraposição de diferentes referenciais. In: Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 26, nº 01, abr./2010.

SANDRONI, P. Dicionário de economia. São Paulo: Atlas, 1994.

SEN, A. K. Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

SOUZA, N. de J. de. Desenvolvimento econômico. São Paulo: Atlas, 1993.

WEBER, S. Profissionalização docente e políticas públicas no Brasil. In: Educação e Sociedade, Campinas, vol. 24, nº 85, p. 1125-1154, dezembro/2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN: 2526-4052