Do Ábaco ao Soroban adaptado:

os benefícios para a pessoa com deficiência visual

Autores

Palavras-chave:

Ábaco, Soroban, Matemática, Deficiente Visual

Resumo

O presente trabalho visa expor um breve histórico sobre a evolução do Ábaco até chegar ao Soroban, nome dado ao Ábaco japonês. Bem como, apresentar as adaptações ocorridas nesse instrumento de cálculo para as pessoas com deficiência visual e sua importância para a construção matemática desse público. Para isso, foram feitas pesquisas minuciosas em artigos, apostila e sites que tratam da origem e uso do ábaco japonês, para enfim trazer um material, onde a intenção é apresentar a importância e benefícios desse instrumento de cálculo para pessoas com deficiência visual.

Biografia do Autor

Thiago Ferreira Bueno, CAP/DV/MS

Professor de Educação e Tecnologia no Centro de apoio ao Deficiente Visual CAP/DV/MS

Marcelo Brito dos Santos, CAP/DV/MS

Foi seminarista Capuchinho de 1992 a 1999, aonde estudou filosofia e teologia franciscana, é Licenciado em Geografia pelo Centro Universitário Leonardo da Vinci e bacharelado em geografia pela UFMS. Mestrando em Educação para Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul - UEMS. Pós graduado latu sansu: em Educação Especial pelo Centro Universitário Leonardo da Vinci; Pós-graduando em Educação e Tecnologia pela UFSCAR e Educação Especial com ênfase em Deficiência Visual. Atuou como técnico pedagógico no Núcleo de Educação do Campo da SED/MS de 2001 a 2003, contribuiu com a elaboração da política de Educação do Campo de MS. Foi professor de Educação Especial no ensino de alunos com deficiência intelectual e transtorno neuromotor, na Associação Pestalozzi de Campo Grande, MS, aonde também exerceu as funções de coordenador do Programa de Formação para o Trabalho e de diretor da Escola Especial "Raio de Sol". Contribuiu na elaboração de projetos que visam a sustentabilidade institucional e a formação de professores e demais profissionais na perspectiva da Pedagogia Histórico-Crítica e Psicologia Histórico-Cultural. Conselheiro e vice-presidente do Conselho Estadual da Pessoa com Deficiência, CONSEP, representando a SED/MS. Foi membro titular e vice-coordenador do GT de Educação Especial do Fórum Estadual de Educação de Mato Grosso do Sul, FEEMS, e membro convidado do GT Educação Especial do Conselho Estadual de Educação de MS. Participou como convidado da Comissão para revisão da Deliberação 7828/2005 atual 11.883/2019. Atualmente é gerente pedagógico do Centro de Apoio aos Deficientes Visuais/COPESPl da Secretaria de Estado de Educação.

Dirceu Aparecido Borges, UFMS

Possui graduação em Bacharelado em Química Tecnológica pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2006), graduação em Química - Licenciatura Plena pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2009) e mestrado em Mestrado profissional: Matemática em Rede Nacional pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2015). Atualmente é transcritor e adaptador braille do Centro de Apoio Pedagógico ao Deficiente Visual de Mato Grosso do Sul. Tem experiência na área de Química, com ênfase em Sistema Braille (Grafia Química), atuando principalmente nos seguintes temas: química braille, sorobã, pré-soroban e audiodescrição (AD).

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Soroban: manual de técnicas operatórias para pessoas com deficiência visual 2 ed. Brasília: SESP, 2012.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. A construção do conceito de número e pré-soroban 1 ed. Brasília: SESP, 2006.

BOYER, Carl B.; MERZBACH, Uta C. A History of Mathematics, 3rd.New Jersey: John & Sons, Inc., 2010.

IFRAH, G. História universal dos algarismos: a inteligência dos homens contada pelos números e pelo cálculo. Tomo I. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1997.

KOJIMA, Takashi – The Japonese Abacus – Its Use and Theory. Charles E. Tuttle Company, Tokyo – Japan, First Edition, 1954.

KOJIMA, Takashi – ADVANCED ABACUS – Japonese Theory and Practice. Charles E. Tuttle Company, Tokyo – Japan, First Edition, 1963.

MONTEIRO, Mario, Introdução à organização de computadores. 5. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2014.

MORAIS, Ieda S. Silva. Sorobã: suas implicações e possibilidades na construção do número e no processo operatório do aluno com deficiência visual. Brasília - DF, 2008.

NUNES, Avani Fernandes Villas Boas; SOLEDADE, Catarina Bernarda; REIS, Sônia Maria Barboza dos. Sorobã para Deficiente Visuais: Cálculo Direto para Operações Matemáticas. Salvador: SUD, 1998.

OLIVEIRA, Edney Dantas de Oliveira. et al. Técnicas de Cálculo e Didática do Soroban: Método Ocidental Menor Valor Relativo. Rio de Janeiro: IBC, 2016.

ORTIZ, F. Muito Além dos Cálculos. Super Saudável. São Paulo, n. 73, p. 28-29, jan./mar. 2017.

SOUSA FILHO, Fernando, O soroban e sua aritmética concreta. Teresina, 2013.

Site Dicionário Priberam. Significado de Ranhura. Disponível em: <https://dicionario.priberam.org/ranhuras/>. Acesso em: 26 fev. 2021.

VIGINHESKI, L. O Soroban na Formação de Conceitos Matemáticos por Pessoas com Deficiência Intelectual: Implicações na Aprendizagem e no Desenvolvimento. Ponta Grossa, 2017.

Downloads

Publicado

2022-03-30

Como Citar

Bueno, T. F., dos Santos, M. B., & Borges, D. A. (2022). Do Ábaco ao Soroban adaptado: : os benefícios para a pessoa com deficiência visual. REVISTA BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO, CULTURA E LINGUAGEM, 6(11), 111–131. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/educacaoculturalinguagem/article/view/6641