Diante do momento que estamos vivendo, estamos nos saindo bem:

aprendizagens de estudantes de Pedagogia em tempos de pandemia

Autores

  • Giana Amaral Yamin Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul - UEMS
  • Adriana Mendonça Pizatto Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)
  • Míria Izabel Campos Universidade Federal da Grande Dourados - UFGD

Palavras-chave:

Educação Infantil. Formação de professoras. Projeto UEMS para Crianças.

Resumo

O artigo tem como objetivo dar visibilidade ao trabalho efetivado por estudantes de Pedagogia da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), Unidade Universitária de Dourados, quando utilizaram como ferramenta o ambiente virtual em formato remoto, bem como propiciar a reflexão teórica sobre o contexto vivenciado, relatando fragmentos dessa trajetória. Ele apresenta a discussão de algumas aprendizagens construídas pelas estudantes ao enfrentarem uma crise pandêmica inimaginada, cujas proporções podem ser comparadas a uma situação de guerra pela sua capacidade de colocar o mundo ‘fora do lugar’. Fundamentado na teoria Histórico-cultural, a discussão traz como metodologia a análise de fragmentos dos relatórios escritos pelo coletivo UEMS para Crianças, vinculado a um projeto de extensão da instituição, cujos documentos registram memórias dos encontros brincantes virtuais realizados com as crianças (2020-2021). Os resultados apontam que as atividades propiciaram às crianças se expressassem e experenciarem vivências ligadas à literatura, à música e ao movimento e de compartilharem práticas coletivas em um momento tão difícil de isolamento social. As estudantes de Pedagogia transformaram-se em uma ponte que aproximou instituições e famílias, pois, para a grande maioria das creches e pré-escolas envolvidas, o momento promovido pela UEMS foi o único contato síncrono das crianças entre si e delas com a professora. Conclui-se que as estudantes foram envolvidas em ações que se constituíram em encontros a favor da vida, repletos de interações que não seriam possíveis pelo encaminhamento às crianças de atividades impressas. As propostas geraram aprendizagens para quando elas atuarem como professoras no momento presencial. Assim, entre outras, aprenderam, de forma desafiadora, a exercitarem a escuta das crianças nas suas múltiplas formas de expressão, a pensarem a organização do espaço ‘da janela’ e da vivência desenvolvida para que pudessem ampliar o repertório das crianças, o que contribuiu para entenderem o que significa colocar a criança como centro do processo. Para as estudantes, a experiência revelou-se permeada de contradições, as quais foram enfrentadas, com consciência, diante dos problemas aos quais o mundo foi exposto.

Biografia do Autor

Giana Amaral Yamin, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul - UEMS

Graduada em Pedagogia (1988). Doutora em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (2006). Experiência na área de Educação. Atua nos temas: educação infantil, alfabetização, crianças, infâncias, formação de professores e Ensino Fundamental. Coordenadora de àrea do PIBID/UEMS (2010-2018). Membro do grupo Gestor do Fórum Permanente de Educação Infantil de Mato Grosso do Sul. Coordenadora do Programa Residência Pedagógica do Curso de Pedagogia/UEMS (2020). Orientadora de Estágio Supervisionado na Educação Infantil.

Adriana Mendonça Pizatto, Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)

Mestranda em Educação pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) e graduada em Pedagogia pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul- UEMS (2018). Membro do "Grupo de Estudo e Pesquisa em História da Educação, Memória e Sociedade" (GEPHEMES), bolsista (CAPES) e realiza pesquisas na área de História da Educação, Memória e Sociedade. Atuou como professora de Educação Infantil nos anos de 2019 e 2020 em uma instituição privada da cidade de Dourados-MS.

Míria Izabel Campos, Universidade Federal da Grande Dourados - UFGD

Possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG/1985), Especialização em Psicologia Educacional pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MINAS/1996), Mestrado em Educação pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD/2010) e Doutorado em Educação pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD/2018). É Professora Adjunta da Universidade Federal da Grande Dourados, lotada na Faculdade de Educação (FAED), na qual ministra as seguintes disciplinas: Psicologia do Desenvolvimento e da Aprendizagem (nas diversas Licenciaturas da UFGD), Métodos e Técnicas de Pesquisa, Pesquisa em Educação, Trabalho de Graduação I, Trabalho de Graduação II e Educação e Relações de Gênero. Atualmente é membro titular da Comissão Permanente de Pesquisa da FAED/UFGD e, também, Membro Titular da Comissão Permanente de Apoio ao Curso de Pedagogia. É membro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa (ANPEd) desde o ano de 2013, atuando como parecerista ad hoc da ANPEd Regional Centro-Oeste, Grupo de Trabalho (GT) 23 - Gênero, Sexualidade e Educação. Também é membro da Associação Brasileira de Pesquisa (Auto)Biográfica (BIOGraph) desde o ano de 2016. Realiza estudos e pesquisas nas temáticas gênero, sexualidade e educação infantil, utilizando a abordagem (auto)biográfica em suas interfaces com o campo educativo, dando ênfase aos trabalhos com formação de professoras. É Vice-Líder do Grupo de Pesquisa Educação e Processo Civilizador (GPEPC)/CNPq.

Referências

ANJOS, Cleriston Izidro dos; FRANCISCO, Deise Juliana. Educação infantil e tecnologias digitais: reflexões em tempos de pandemia. In: Revista Zero a Seis. Zero-a-Seis, Florianópolis, v. 23, n. Especial, p. 125-146, jan./jan., 2021.

Barbosa, Maria Carmen Silveira; Quadros Vanessa da Silva Rocha de. As aprendizagens cotidianas: os cuidados pessoais das crianças como gesto curricular. In: Em Aberto, Brasília, v. 30, n. 100, p. 45-70, set./dez. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília, DF: MEC, 2009. Disponível em: http://www.seduc.ro.gov.br/portal/legislacao/RESCNE005_2009.pdf. Acesso em: 03 ago. 2021.

BRASIL, Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Diretoria de Currículos e Educação Integral. Campos de experiências: efetivando direitos e aprendizagens na educação infantil. São Paulo: Fundação Santillana, 2018.

CARVALHO, Saballa Rodrigo; FOCHI, Paulo Sérgio. Pedagogia do cotidiano: reivindicações do currículo para a formação de professores p. 23 a 44. In: Em Aberto, Brasília, v. 30, n. 100, p. 1-192, set./dez. 2017

CRUZ, Silvia Helena Vieira. As Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil: uma breve apresentação. In: Salto para o Futuro, v. 1, p. 10-18, 2013.

CRUZ, Silvia Helena Vieira. MARTINS; Cristiane Amorim. A educação infantil e demandas impostas na pandemia: intersetorialidade, identidade e condições para o retorno às atividades presenciais. In: Revista Zero-a-Seis, Florianópolis, v. 23, n. Especial, p. 147-174, jan./jan., 2021.

DAHLBERG, Gunilla; MOSS, Peter; PENCE, Alan. Qualidade na educação infantil da primeira infância: perspectivas pós-modernas. Porto Alegre: Artmed. 200.

FMEI. Fórum Mineiro Educação Infantil, 2020. Texto enviado WhatsApp.

FRIEDMANN, Adriana. Processos inspiradores para educadores. In: FRIEDMANN, Adriana (Org). Escuta e observação de crianças: processos inspiradores. São Paulo: Centro de Pesquisa e Formação Sesc, 2018.

HOLZWARTH, Werne. Da Pequena Toupeira que Queria Saber Quem Tinha Feito Cocô na Cabeça Dela. São Paulo: Companhia Das Letrinhas, 1994.

HORN, Maria das Graças Souza. Sabores, sons, cores e aromas: a organização do espaço na educação infantil. Porto Alegre: ARTMED, 2004.

LEONTIEV, Aléxis. O desenvolvimento do psiquismo. São Paulo: Moraes, [s.d.].

OLIVEIRA-FORMOSINHO, Julia; PASCAL, Christine. Pedagogia-em-Participação: em busca de uma práxis holística. In: OLIVEIRA-FORMOSINHO, Julia; FORMOSINHO, João. Documentação pedagógica e avaliação na educação infantil: um caminho para transformação. Porto Alegre: Penso, 2019.

OSTETTO, Luciana. Sobre a organização curricular da Educação Infantil: conversas com professoras a partir das Diretrizes Curriculares Nacionais. In: Revista Zero a Seis. v. 19, n. 35 p. 46 - 68 | jan-jun 2017.

RODRIGUES, Márcia Cristina Pires. Apreciação musical através do gesto corporal. In: KEBACH, Patrícia; BEYER, Esther (Orgs.). Pedagogia da música: experiências de apreciação musical. Porto Alegre: Mediação, 2009, p. 27-36.

São Paulo (SP). Secretaria Municipal de Educação. Diretoria de Orientação Técnica. O uso da tecnologia e da linguagem midiática na educação infantil. São Paulo: SME/DOT, 2015.

VYGOTSKY, Lev Semenovich. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

Downloads

Publicado

30/03/2022

Como Citar

Yamin, G. A., Pizatto, A. M., & Campos, M. I. (2022). Diante do momento que estamos vivendo, estamos nos saindo bem: : aprendizagens de estudantes de Pedagogia em tempos de pandemia. REVISTA BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO, CULTURA E LINGUAGEM, 6(11), 18–41. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/educacaoculturalinguagem/article/view/6696