O trabalho em colaboração para apoio da inclusão escolar: da teoria à prática docente

Autores

  • Carla Ariela Rios Vilaronga Docente do Instituto Federal de São Paulo (IFSP) e orientadora do Programa de Pós Graduação em Educação Especial da Universidade Federal de São Carlos- PPGEEs- UFSCar
  • Eniceia Gonçalves Mendes Professora Doutora do Departamento de Psicologia da UFSCar- São Carlos e Orientadora do Programa de Pós Graduação em Educação Especial- PPGEEs
  • Ana Paula Zerbato Professora de Educação Especial. Mestre e doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Especial da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) – SP.

DOI:

https://doi.org/10.26514/inter.v7i19.1029

Palavras-chave:

Educação Especial. Inclusão Escolar. Ensino Colaborativo. Formação de professores.

Resumo

Este estudo teve como objetivo descrever e analisar o caso de “Cecilia”, professora de Educação Especial, que trabalhou em colaboração com “Célio, professor de Ciências do ensino fundamental II, tendo como foco o ensino de “Conrado”, aluno com paralisia cerebral, estudante de uma escola pública no interior paulista. A professora de Educação Especial aqui analisada era participante de uma formação continuada sobre Ensino Colaborativo, com outros professores da área. Trata-se de uma pesquisa-ação colaborativa, pois ao mesmo tempo em que atendia a necessidade de intervenção, produziu-se conhecimento científico na área da Educação Especial. Concluiu-se que o coensino beneficiou a escolarização de toda a turma, pois os dois professores trabalharam juntos em sala de aula, somaram conhecimentos diferenciados, progrediram em relação às metodologias de ensino e dividiram, no espaço de tempo em que atuaram de forma conjunta, a responsabilidade de ensinar todos os estudantes.

Biografia do Autor

Carla Ariela Rios Vilaronga, Docente do Instituto Federal de São Paulo (IFSP) e orientadora do Programa de Pós Graduação em Educação Especial da Universidade Federal de São Carlos- PPGEEs- UFSCar

Pedagoga formada pela UNESP campus de Rio Claro (2007), durante a graduação em Pedagogia realizou intercâmbio na Universidad Nacional de Entre Rios, na Argentina, onde cursou disciplinas no curso de Ciências da Educação. Em 2010 finalizou o Mestrado em Educação pelo Programa de Pós-Educação em Educação (UNESP), linha de pesquisa Docência, práticas escolares e formação de professores. Doutorada pelo Programa de pós em Educação Especial pela UFSCar em 2015, durante o doutoramento realizou estágio doutoral na Universidad de Alcalá- Alcalá de Henares- Madrid- Espanha . Atuou no CECEMCA- Centro de Educação Continuada em Educação Matemática, Cientifica e Ambiental como formadora de professores (Unesp- Rio Claro) De 2009 até 2015 trabalhou como pedagoga no Curso de Licenciatura em Educação Especial na Universidade Federal de São Carlos- UFSCar, tendo como principais atividades a participação em atividades relacionadas a oficinas pedagógicas, disciplinas práticas e cursos da área para alunos e professores da Rede Regular de Ensino. Desde dezembro de 2015 é docente no Instituto Federal de São Paulo, Campus São Carlos. Tem se dedicado em pesquisas relacionadas a Formação de Professores, Formação de Professores em Educação Especial e Ensino Colaborativo.

Eniceia Gonçalves Mendes, Professora Doutora do Departamento de Psicologia da UFSCar- São Carlos e Orientadora do Programa de Pós Graduação em Educação Especial- PPGEEs

Doutorado em Psicologia pelo IP-USP (1995), Mestrado em Educação Especial na UFSCar, Graduação em Psicologia na FCLRP-USP. Professora Titular da Universidade Federal de São Carlos, docente do Depto de Psicologia, do Programa de Pós-Graduaçao em Educação Especial, coordenadora da rede de pesquisadores do Observatório Nacional de Educação Especial (ONEESP), líder do Grupo de Pesquisa sobre Formação de Recursos Humanos em Educação Especial (GP-FOREESP). Coordenadora do Programa de Extensão sobre Formação Continuada em Educação Especial PROEX/UFSCAR) . Estágios no exterior (Estados Unidos, França, México e Peru), e pós-doutorado na Université Paris V- Sorbonne na França (2007-2008). Atua na área de Educação com ênfase em Educação Especial. Desenvolve e orienta pesquisas sobre inclusão escolar e política educacional. Atual Presidente da Associação Brasileira de Pesquisadores da Educação Especial (ABPEE).

Ana Paula Zerbato, Professora de Educação Especial. Mestre e doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Especial da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) – SP.

Mestre e doutoranda em Educação Especial pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Especial da Universidade Federal de São Carlos. Professora da educação especial da Prefeitura Municipal de São Carlos - SP. Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2005) com habilitação em docência para os anos iniciais do ensino fundamental e Educação Especial e especialização em Educação Infantil e a Escola de Nove Anos pela Universidade Federal de São Carlos. Possui experiência na área de Educação e Educação Especial com ênfase em Ensino Colaborativo ou Coensino, atuando principalmente nos seguintes temas: educação, educação especial, inclusão escolar e práticas docentes. É uma das autoras do livro, lançado em 2014, "Ensino Colaborativo como apoio à inclusão escolar: unindo esforços entre educação comum e especial.

Downloads

Publicado

01/06/2016

Como Citar

Vilaronga, C. A. R., Mendes, E. G., & Zerbato, A. P. (2016). O trabalho em colaboração para apoio da inclusão escolar: da teoria à prática docente. INTERFACES DA EDUCAÇÃO, 7(19), 66–87. https://doi.org/10.26514/inter.v7i19.1029