Construção da cidadania com respeito às diferenças étnico-raciais e culturais: o processo de implementação da lei n. 10.639/03 em uma escola particular da cidade de Paranaíba/MS

Visualizações: 1154

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26514/inter.v9i27.3219

Palavras-chave:

interculturalidade, racismo, alteridade, diferenças étnico-raciais

Resumo

Pretende-se verificar em que medida o tratamento da história e da cultura africana e afro-brasileira em sala de aula pode propiciar o combate ao racismo, ao preconceito e a discriminação e o respeito às diferenças. Busca-se conferir se este tipo de trabalho pode ser beneficiado com o uso de cenas cinematográficas (filme de conteúdo histórico) e letras de música, no intuito de produzirem “textos geradores”, isto é, de provocarem discussões nas aulas; e se esses debates, por sua vez, podem contribuir para a mudança de “consciência histórica” dos educandos. 

Biografia do Autor

Diogo da Silva Roiz, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

Professor associado aos cursos de Pedagogia e de Ciências Sociais da UEMS, e dos programas de pós-graduação em Educação e do ProfHistória. Doutor em História pela UFPR, onde também concluiu estágio de pós-doutorado em 2015. E-mail: diogosr@uems.br. ORCID ID: http://orcid.org/0000-0001-8952-7826.

Referências

Referências Bibliográficas:

APPLE, M. W. Ideologia e currículo. 3ª Edição. Porto Alegre: Artmed, 2008.

BARROS, D. País mal educado: por que se aprende tão pouco nas escolas brasileiras? Rio de Janeiro: Record, 2018.

BORGES, M. F. M. O ensino de história e cultura africana e afro-brasileira na perspectiva da lei 10.639/03: análise de políticas públicas na EE. Prof. Hélio Palermo, cidade de Franca/SP. 2016. Dissertação (Mestrado em Planejamento e análise de Políticas Públicas) – Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho.

CARVALHO, J. M. Cidadania no Brasil: o longo caminho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

CERRI, L. F. Ensino de história e consciência histórica: implicações didáticas de uma discussão contemporânea. Rio de Janeiro: FGV, 2011.

CHARLOT, B. A mistificação pedagógica: realidades sociais e processos ideológicos na teoría da educação. São Paulo: Cortez, 2013.

_____. Da relação com o saber às práticas educativas. São Paulo: Cortez, 2013b.

CURY, A. 20 regras de ouro para educar filhos e alunos: como formar mentes brilhantes na era da ansiedade. São Paulo: Planeta, 2017.

DOMINGUES, P. O movimento negro brasileiro: alguns apontamentos históricos. Tempo, Rio de Janeiro, v. 12, n. 23, 2009, p. 100-122. Link: http://www.scielo.br/pdf/tem/v12n23/v12n23a07.pdf.

GILROY, P. Entre campos: nações, culturas e o fascínio da raça. SP: Annablume, 2007.

GOMES, F.; DOMINGUES, P. (Org.). Políticas da raça: experiências e legados da Abolição e da pós-emancipação no Brasil. São Paulo: Selo Negro, 2014.

GOMES, N. L. (Org.) Práticas Pedagógicas de trabalho com Relações Étnico-Raciais na Escola na perspectiva da Lei 10.639/03. 1a. ed. Brasília: MEC/UNESCO, 2012. Link: http://unesdoc.unesco.org/images/0026/002605/260516POR.pdf.

_____. Relações étnico-raciais, educação e descolonização dos currículos. Currículo sem fronteiras, v. 12, n. 1, 2012b, p. 98-109. Link: http://www.acaoeducativa.org.br/fdh/wp-content/uploads/2012/11/curr%C3%ADculo-e-rela%C3%A7%C3%B5es-raciais-nilma-lino-gomes.pdf.

GUIMARÃES, A. S. A. Preconceito e discriminação: queixas de ofensas e tratamento desigual dos negros no Brasil. São Paulo: Editora 34, 2004.

_____. Classes, raças e democracia. São Paulo: Editora 34, 2006.

_____. Tirando a máscara: ensaios sobre o racismo no Brasil. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2000.

_____. Racismo e anti-racismo no Brasil. São Paulo: Editora 34, 1999.

LEME, P. P. O uso de filmes nas aulas de história e cultura afro-brasileira e africana e sua influência na formação da consciência histórica em um curso de formação para o trabalho. Dissertação de mestrado em Educação, UEMS, 2018.

KLEIN, H. S. O tráfico de escravos no Atlântico. Ribeirão Preto/SP: Funpec Editora, 2004.

NAPOLITANO, M. Cinema: experiência cultural e escolar. In: Secretaria de Educação, Estado de São Paulo. Caderno de cinema do professor dois. São Paulo: FDE, 2009, p. 10-31. Link: http://culturacurriculo.fde.sp.gov.br/administracao/Anexos/Documentos/320090708123643caderno_cinema2_web.pdf#page=7.

ROIZ, D. S. Da “leveza” da adolescência ao “peso” de ser adulto: personalidade, profissão, religião e cidadania entre alunos do Ensino Médio de uma escola pública no interior do estado de São Paulo. Revista Interfaces da Educação, v. 7, n. 20, 2016, p. 41-64.

_____. Combatendo o racismo e respeitando as diferenças étnico-raciais: o ensino da história e cultura africana e afro-brasileira em sala de aula. Texto inédito, 2018, 27 págs.

_____. “Acaso ser diferente não pode ser também legal?”A “consciência histórica” de alunos do Ensino Fundamental II de uma Escola Estadual de Mato Grosso do Sul. Texto inédito, 2018b, 25 págs.

ROIZ, D. S.; SANTOS, J. R. A lei 10.639/03 e sua implementação em sala de aula. In: Roiz, D. S.; Gomes, G. F.; Ferreira, I. J. (org.) A (pós-)verdade numa época de mutações civilizacionais. Serra/ES: Milfontes, 2018, p. 297-334.

______. O uso de imagens no ensino da história e cultura africana e afro-brasileira nas salas de aula de escolas públicas de Campinas/SP. In: ROIZ, D. S.; SANTOS, J. R. (Org.) As leis na escola: experiências com a implementação das leis 10.639/03 e 11.645/08 em sala de aula. 1. ed. Jundiaí/SP: Paco Editorial, 2018b, p. 103-135.

ROIZ, D. S.; SANTOS, J. R.; TEIXEIRA, P. E. O uso de imagens para o ensino da cultura e história Africana e Afro-brasileira e a questão do racismo no Brasil. Educere et Educare (Impresso), v. 5, p. 209-230, 2010.

RÜSEN, J. Razão histórica. Teoria da História I: os fundamentos da ciência da história. Tradução de Estevão de Rezende Martins. Brasília: Ed. UnB, 2001.

_____. Reconstrução do passado. Teoria da história II: os princípios da pesquisa histórica. Tradução de Asta-Rose Alcaide. Brasília: Ed. UnB, 2007.

_____. História viva. Teoria da História III: formas e funções do conhecimento histórico. Tradução de Estevão de Rezende Martins. Brasília: Ed. UnB, 2007b.

_____. Jörn Rüsen e o ensino de história. Organização de Maria Auxiliadora Schmidt, Isabel Barca e Estevão de Rezende Martins. Curitiba: Editora da UFPR, 2010.

_____. Aprendizagem histórica: fundamentos e paradigmas. Curitiba/PR: W. A. Editores, 2012.

_____. Cultura faz sentido: orientações entre o ontem e o amanhã. Tradução de Nélio Schneider. Petrópolis/RJ: Vozes, 2014.

_____. Teoria da história: uma teoria da história como ciência. Tradução de Estevão Rezende Martins. Curitiba/PR: Editora da UFPR, 2015.

SANTOS, A. S. A lei n. 10.639/03 como fruto da luta anti-racista do movimento negro. In: Educação anti-racista: caminhos abertos pela Lei Federal nº 10.639/03. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. – Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2005, p. 21-37. Link: http://www.acaoeducativa.org.br/fdh/wp-content/uploads/2012/10/sales-lei-10.639-como-fruto-da-luta-antirracista.pdf.

SANTOS, Y. L. História da África e do Brasil afrodescendente. Rio de Janeiro: Pallas, 2017.

SCHMIDT, M. A.; GARCIA, T. M. F. B. (org.) Didática, história e manuais escolares: contextos Ibero-americanos. Ijuí/RS: Editora da Unijuí, 2013.

_____. (org.) Recriando histórias a partir do olhar das crianças. Ijuí/RS: Editora da Unijuí, 2011.

_____. (org.) Diálogos e perspectivas de investigação. Ijuí/RS: Editora da Unijuí, 2008.

_____. Contribuições para a discussão no campo da Didática: análise de resultados do projeto Recriando Histórias. 26reuniao.anped.org.br, 2003, 19 pags. Link: http://revistas.umce.cl/index.php/contextos/article/viewFile/605/625. (versão publicada do relatório).

_____. A formação da consciência histórica de alunos e professores e o cotidiano em aulas de História. Cadernos Cedes, Campinas, vol. 25, n. 67, p. 297-308, set./dez. 2005. Link: http://www.scielo.br/pdf/%0D/ccedes/v25n67/a03v2567.pdf.

SCHMIDT, M. A.; BARCA, I. (org.) Aprender história: perspectivas da educação histórica. Ijuí/RS: Editora da Unijuí, 2009.

_____. (org.) Educação histórica: investigação em Portugal e no Brasil. Braga/Portugal: Editora da Universidade do Minho, 2009b.

_____. (org.) Jörn Rüsen: humanismo e didática da história. Curitiba/PR: W&A Editores, 2015.

SCHMIDT, M. A.; URBAN, A. C. Passados possíveis: a educação histórica em debate. Ijuí/RS: Editora da Unijuí, 2014.

SOUZA, J. Subcidadania brasileira: para entender o país além do jeitinho brasileiro. Rio de Janeiro: LeYa, 2018.

_____. A elite do atraso: da escravidão à lava jato. Rio de Janeiro: LeYa, 2017.

_____. A tolice da inteligência brasileira: ou como o país se deixa manipular pela elite. Rio de Janeiro: LeYa, 2015.

_____. A ralé brasileira: que é e como vive. Belo Horizonte/MG: Ed. UFMG, 2011.

Downloads

Publicado

20-12-2018

Como Citar

Roiz, D. da S. (2018). Construção da cidadania com respeito às diferenças étnico-raciais e culturais: o processo de implementação da lei n. 10.639/03 em uma escola particular da cidade de Paranaíba/MS. INTERFACES DA EDUCAÇÃO, 9(27), 48–80. https://doi.org/10.26514/inter.v9i27.3219