Mediação em centros de ciências e educação de Vitória-ES (Brasil): um estudo exploratório

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26514/inter.v11i31.4027

Palavras-chave:

Divulgação científica. Espaço de educação não formal. Mediação

Resumo

Os museus e centros de ciências, ao longo do tempo, enquanto espaços de educação não formal, passaram a atender a vários públicos. Neles, o papel dos mediadores mostra-se essencial para ampliar o diálogo dos visitantes com ao acervo dessas instituições. Este artigo discute os resultados de um estudo qualitativo e exploratório sobre os mediadores, investigando seu perfil, sua formação inicial e continuada, seu papel, bem como a função social dos museus. Foi aplicado um questionário ao qual responderam 27 mediadores que atuam nos quatro Centros de Ciência, de Educação e Cultura do município de Vitória/ES. A abordagem dos dados fundamentou-se na análise temática de conteúdo, conforme Blanchet e Gotman (2010). A maioria dos mediadores são estudantes bolsistas e considera seu trabalho uma experiência formativa em vez de uma atividade profissional. A oferta de formação inicial e continuada dos mediadores é pouco estruturada e acontece, em grande medida, durante o processo da mediação. Uma colaboração entre museus, escola e universidade, na formação inicial e continuada dos professores e dos mediadores, poderia contribuir tanto para a melhoria da mediação nos museus quanto para a formação dos futuros professores.

Referências

ALBAGLI, S. Divulgação científica: informação científica para cidadania. Ciência da Informação, v. 25, n. 3, 1996.

BENSAUDE-VINCENT, B. Splendeur et décadence de la vulgarisation scientifique. Questions de communication, n.17, p. 19-32, 2010.

BONATTO, M. P. O.; SEIBEL, M. I.; MENDES, I. A. Ação mediada em museus de ciências: O caso do Museu da Vida. In: MASSARANI, L.; MERZAGORA, M.; RODARI, P. (Orgs.). Diálogos & ciência: mediação em museus e centros de Ciência. Rio de Janeiro: Museu da Vida/Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz, p. 48-55, 2007.

BLANCHET, Alain.; GOTMAN, Anne. L’enquête et sés méthodes - l’entretien. 2 ed. Paris: Armand Colin, 2010.

BRASIL. MEC. SISU. Aprovados. 2018. Disponível em: <http://sisu.ufes.br/sites/sisu.ufes.br/files/field/anexo/Aprovados%20SISU%202018%20-%20Chamada%20Regular%2029-01-18.pdf>. Acesso em: 27 set. 2018.

COSTA, A. G. Os ‘explicadores’ devem explicar? In: MASSARANI, L.; MERZAGORA, M.; RODARI, P. (Orgs.). Diálogos & ciência: mediação em museus e centros de Ciência. Rio de Janeiro: Museu da Vida/Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz, p. 28-31, 2007.

DURANT, John. O que é alfabetização científica? In: MASSARANI, L.; TURNEY, J.;MOREIRA, I. de C. (Orgs.). Terra incógnita: a interface entre Ciência e público. Rio de Janeiro: Vieira & Lent; UFRJ, Casa da Ciência; Fiocruz, p. 14- 26, 2005.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. 17 ed. São Paulo: Paz e Terra, 1987.

JACOBUCCI, D. F. C. Contribuições dos espaços não formais de educação para a formação da cultura científica. Em extensão, Uberlândia, v. 7, p. 55-66, 2008.

MILLER, J. D. The Conceptualition and Mesurement of Civic Scientific Literacy for the Twenty-First Century. In: MC INWALD, J.; HILDEBRAND J. G. Science and the Education American: A core Component of Liberal Education. Cambridge: American Academy of Arts and Sciences, p. 241- 255, 2010.

MORAES, R. et al. Mediação em museus e centros de ciências: o caso do Museu de Ciências e Tecnologia da PUCRS. In: MASSARANI, L.; MERZAGORA, M.; RODARI, P. (Orgs.). Diálogos & ciência: mediação em museus e centros de Ciência. Rio de Janeiro: Museu da Vida/Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz, p. 56- 67, 2007.

OVIGLI, D. Os saberes da mediação humana em centros de ciências: contribuições à formação inicial de professores. 2010. 228 p. Dissertação de Mestrado. Programa de pós-graduação em Educação, Universidade Federal de São Carlos/UFSCAR, 2009.

PRAXEDES, G.C. A utilização de espaços de educação não formal por professores de Biologia de Natal – RN. 2009. 167 p. Dissertação de Mestrado em Ensino de Ciências Natural e Matemática da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2009.

QUEIROZ, G. et al. Construindo saberes da mediação na educação em museus de ciência e tecnologia: o caso dos mediadores do Museu de Astronomia e Ciências Afins/ Brasil. Revista Brasileira de Pesquisa em Ensino de Ciências, v. 2, n. 2, p. 77-82, 2002.

QUEIROZ, G. Formação de mediadores para museus em situações educacionais ampliadas: saberes da mediação e desenvolvimento profissional. Ensino em Re-Vista, Uberlândia: UFU, v. 20, n. 1, p. 149-162, jan./jun. 2013.

SABBATINI, M. Alfabetização e Cultura Científica: conceitos convergentes? Ciência e Comunicação, v.1, n. 1, p. 1-14, 2004.

SANTOS, S. A. M. A excursão como recurso didático no ensino de biologia e educação ambiental. In: VIII ENCONTRO PERSPECTIVAS DO ENSINO DE BIOLOGIA, 6, 2002, São Paulo. Anais... São Paulo: FEUSP, 2002.

SANTOS, B.T.; SILVA, M.A. Atuação dos espaços não formais na divulgação científica. Revista da SBEnBio, n.9, p. 7878-7889, 2016.

SHAMOS, M. The myth of scientific literacy. New Brunswick, NJ: Rutgers University Press, 1995.

SHEN, Benjamin S. P. Science Literacy. American Scientist, v. 63, p. 265-268, 1975. Disponível em: <http://www.jstor.org/stable/pdf/27845461.pdf?seq=1#page_scan_tab_

contents>. Acesso em: 21 out. 2018.

VITÓRIA. Centros de Ciência e Educação. Disponível em: <http://www.vitoria.es.gov.br/ cidade/centros-de-ciencia-e-educacao>. Acesso em: 5 abr. 2018.

VOGT, C. Percepção pública da ciência: uma revisão metodológica e resultados para São Paulo. In: Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo. Indicadores de ciência, tecnologia e inovação em São Paulo. São Paulo: FAPESP, 2005.

Downloads

Publicado

2020-08-17

Como Citar

Nascimento, F., Campos, C., & Vaillant, F. (2020). Mediação em centros de ciências e educação de Vitória-ES (Brasil): um estudo exploratório. INTERFACES DA EDUCAÇÃO, 11(31), 93–117. https://doi.org/10.26514/inter.v11i31.4027