Discursos sobre a experimentação na formação de professores de Química

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26514/inter.v12i35.4374

Palavras-chave:

Química experimental, Educação Química, Formação de professores

Resumo

Este estudo objetivou compreender a circulação de discursos sobre experimentação em um curso de formação de professores de Química, assumindo sua função de orientador de práticas e buscando problematizar seus efeitos na Educação Básica. Para tal, bases teóricas e metodológicas da Análise do Discurso foram empregadas no processo de pesquisa, análise e construção do texto. Como elementos resultantes da análise, o texto aponta a emergência de discursos que se pautam numa concepção de experimentação sistematicamente diferenciada e separada da teoria no nível da formação universitária, num entendimento de que a aula experimental é distinta da aula tida como teórica e que produzem, como efeitos, algo que se constitui quase como “químicas” distintas, tanto na Educação Superior (na formação docente) quanto na Educação Básica (local de ação desses docentes). Os resultados apresentados neste trabalho marcam a importância das práticas desenvolvidas e naturalizadas nos cursos de formação de professores de Química serem repensadas, de modo que, ao apontar tais agenciamentos, o texto busca contribuir em sua identificação e possível abertura à discussão no campo do Ensino de Química voltado à formação e à ação de professores na Escola Básica.

Biografia do Autor

Edson Frozza, Universidade Federal de Pelotas

Licenciado em Química pela Universidade Federal da Fronteira Sul, mestre em Química e doutorando em Educação pela Universidade Federal de Pelotas.

Bruno dos Santos Pastoriza

Professor adjunto na Universidade Federal de Pelotas (UFPel), possui graduação em Licenciatura em Química, mestrado e doutorado em Educação em Ciências Química pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Trabalha com formação de professores de Ciências, transitando na área da filosofia pensada para o Ensino de Ciências. Atua em diferentes disciplinas no curso de Licenciatura em Química e no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática e Programa de Pós-Graduação em Química. Coordenador do Laboratório de Ensino de Química (LABEQ-UFPel), também é Coordenador Adjunto do Curso de Licenciatura em Química, orientador do PIBID e pesquisa na área de Estratégias Metodológicas e Recursos Educacionais para o Ensino de Ciências e Química.

Referências

BASOLI, F. Atividades práticas e o ensino-aprendizagem de ciência(s): mitos, tendências e distorções. Ciência e Educação, v. 20, n. 3, p. 579-593, 2014.

BALDAQUIM, M. J. et al. A experimentação investigativa no ensino de química: construindo uma torre de líquidos. Actio, v. 3, n. 1, p. 19-36, 2018.

BINSFELD, S. C.; AUTH, M. A. A experimentação no ensino de Ciências da Educação Básica: constatações e desafios. VIII ENPEC – Encontro Nacional de Pesquisa em Ensino de Ciências, Universidade Estadual de Campinas - Unicamp, 2011.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução nº 2, de 30 de janeiro 2012 Define Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. 2012. Disponível em <http://bit.ly/2OPZiFX>. Acesso em 23 de maio de 2018.

______. Resolução nº 2, de 1º de julho de 2015 define Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação de professores. 2015. Disponível em <http://bit.ly/2P3Uehp>. Acesso em 12 de maio de 2018.

______. Parecer CNE/CES 1.303/2001. 2001. Disponível em <http://bit.ly/37rzV3O>. Acesso em 03 de janeiro de 2020.

CARDOSO, L. R. Homo experimentalis: dispositivo da experimentação e tecnologias de subjetivação no currículo de aulas experimentais de ciências. 308 f. Tese (Doutorado em Educação), Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2012.

DALBOSCO, C. A. Educação Superior e os desafios para a formação para a cidadania democrática. Avaliação, v. 20, n. 1, p. 123-142, 2015.

FOUCAULT, M. A Arqueologia do Saber. Rio de Janeiro: Forence Universitária, 2016.

______. A Ordem do Discurso. São Paulo: Edições Loyola, 2014.

FRANCISCO JR., W. E.; FERREIRA, L. H; HARTWIG, D. R. Experimentação Problematizadora: Fundamentos Teóricos e Práticos para a Aplicação em Salas de Aula de Ciências. Química Nova na Escola, n. 30, p. 34-41, 2008.

GALIAZZI, M. C; GONÇALVES, F. P. A natureza pedagógica da experimentação: uma pesquisa na licenciatura em química. Química Nova, v. 27, n. 2, p. 326-331, 2004.

GAUCHE, R.; et al. Formação de professores de química: concepções e proposições. Química Nova na Escola, n. 27, p. 26-29, 2008.

GONÇALVES, F. P. A problematização das atividades experimentais no desenvolvimento profissional e na docência dos formadores de professores de Química. 234 f. Tese (Doutorado em Educação Científica e Tecnológica), Universidade Federal de Santa Catarina, Porto Alegre, Brasil, 2009.

GUIMARÃES, C. C. Experimentação no Ensino de Química: Caminhos e Descaminhos Rumo à Aprendizagem Significativa. Química Nova na Escola, v. 31, n. 3, p. 198-202, 2009.

HODSON, D. Hacia un enfoque más crítico del trabajo de laboratorio. Enseñanza de Las Ciencias, v. 12, n. 3, p. 299-213, 1994.

IZQUIERDO, M.; SANMARTÍ, N.; ESPINET, M. Fundamentación y diseño de las prácticas escolares de ciencias experimentales. Enseñanza de las Ciencias, v. 17, n. 1, p. 45-59, 1999.

LARROSA, J. B. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação, n. 19, p. 20-28, 2002.

LATOUR, B.; WOOLGAR, S. A vida de laboratório: a produção dos fatos científicos. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1997.

LENOIR, T. Instituindo a Ciência: A produção cultural das disciplinas científicas. São Leopoldo: Unisinos, 2004.

LISO, M. R. J.; GUADIX, M. A. S.; TORRES, E. M. Química cotidiana para la alfabetización científica: ¿realidad o utopía? Educación Química, v. 13, n. 4, 259-266, 2002.

LUIZ, M. C.; SILVA, F. C.; BENGTSON, C. G. Ánalise do discurso nas pesquisas em educação: perspectivas foucaultianas. Revista Eletrônica de Educação, v. 13, n. 2, p. 425-437, 2019.

MARÍN-DÍAZ, D. L. Infância: discussões contemporâneas, saber pedagógico e governamentalidade. Dissertação (Mestrado em Educação), Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.

MESQUITA, N. A. S.; SOARES, M. H. F. B. Visões de Ciências em desenhos animados: uma alternativa para o debate sobre a construção do conhecimento científico em sala de aula. Ciência e Educação, v. 14, n. 3, p. 417-429, 2008.

MORI, R. C.; CURVELO, A. A. D. S. A polissemia da palavra “Experimentação” e a Educação em Ciências. Química Nova na Escola, v. 39), n. 3, p. 291-304, 2017.

PASTORIZA, B. S.; DEL PINO, J. C. A Educação Química em discurso: uma análise a partir da revista Química Nova na Escola (1995-2014). Química Nova na Escola, v. 39, n. 2, p. 204-219, 2017.

PAUL, J.; LEDERMAN, N. G.; GROß, J. Learning experimentation through science fairs. International Journal of Science Education, v. 38, p. 2367-2387, 2016.

QUADROS, A. L. D.; et al. Ensinar e aprender Química: a percepção dos professores do Ensino Médio. Educar em Revista, 40, p. 159-176, 2011.

SANTOS, W. L. P.; SCHNETZLER, R. P. Educação em química: compromisso com a cidadania. 4ª ed. Ijuí: Editora Unijuí, 2015.

SANTOS, W. L. P. D. A Química e a formação para a cidadania. Educación Química, v. 22, n. 4, p. 300-305, 2011.

SARTORI, E. R.; et al. Construção de Uma Célula Eletrolítica para o Ensino de Eletrólise a Partir de Materiais de Baixo Custo. Química Nova na Escola, v. 35, n. 2, p. 107-111, 2013.

SCHWANTES, L.; HENNING, P. C.; RIBEIRO, P. R. C. Discurso sobre a Ciência na emergência histórica da 'Rede Nacional de Educação e Ciência'. Revista Educação em Questão, v. 55, n. 43, p. 62-87, 2017.

SILVA, J. A.; et al. Concepções e práticas de experimentação nos anos iniciais do ensino fundamental. Linhas Críticas, n. 18, n. 35, p. 127-150, 2012.

SILVA, A., UHMANN, R., & HECKLER, V. A experimentação e o ensino de química. In: PASTORIZA, B. D. S.; SANGIOGO, F. A.; BOSENBECKER, V. K. Reflexões e debates em Educação Química. Curitiba: CRV, 2017.

SOARES, A. C.; LOGUERCIO, R. Q. Outros espaços de aprendizagem: da máscara aos saberes sobre ciências. Contexto e Educação, v. 32, n. 101, p. 125-141, 2017.

SUART, R. C.; MARCONDES, M. E. R. A manifestação de habilidades cognitivas em atividades experimentais investigativas no ensino médio de química. Ciência e Cognição, v. 14, n. 1, p. 50-74, 2009.

TOMAZI, A. L.; et al. O que é e quem faz ciência? Imagens sobre a atividade científica divulgadas em filmes de animação infantil. Ensaio, v. 11, n2, p. 335-353, 2009.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS (UFPel). Projeto Pedagógico. 2016. Disponível em <http://bit.ly/31LYEhK>. Acesso em 18 de julho de 2018.

______. Projeto Pedagógico. 2013. Disponível em <http://bit.ly/31Pq4DB>. Acesso em 18 de julho de 2018.

______. Projeto Pedagógico. 2009. Disponível em <http://bit.ly/3bwtGPl>. Acesso em 18 de julho de 2018.

WEI, B., & LI, X. Exploring science teachers’ perceptions of experimentation: implications for restructuring school practical work. International Journal of Science Education, v. 39, n. 13, p. 1775-1794, 2017.

Downloads

Publicado

02/11/2021

Como Citar

Frozza, E., & Pastoriza, B. dos S. (2021). Discursos sobre a experimentação na formação de professores de Química. INTERFACES DA EDUCAÇÃO, 12(35), 64–90. https://doi.org/10.26514/inter.v12i35.4374