DE ESTUDANTE A PROFESSOR: ESTUDO SOBRE A FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES E INGRESSO NA CARREIRA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26514/inter.v13i38.5336

Palavras-chave:

Formação inicial de professores.Identidade profissional docente.Professor iniciante.

Resumo

Este texto constitui-se num recorte dos resultados da dissertação de mestrado, trazendo à discussão a importância do curso de formação inicial de professores e suas contribuições para a construção da identidade profissional dos estudantes do curso de Pedagogia. A pesquisa insere-se no campo qualitativo, bem como tem caráter longitudinal, visto que os sujeitos da pesquisa foram acompanhados durante a formação inicial, do início ao final do curso de Pedagogia, e quando iniciaram a vida profissional como professores da Educação Básica. O levantamento de dados foi realizado a partir da aplicação de questionários e realização de grupos de discussão. Os resultados da pesquisa sinalizam fragilidades na formação inicial de professores e o quanto o início da carreira profissional docente é frustrante e angustiante. Apontamos necessidades em repensar a formação inicial de professores, bem como a intersecção escola e universidade, numa tentativa de atenuar o impacto no início da carreira do professor iniciante.

Biografia do Autor

Andréia Guilhen Pinto, UNESP SEDUC/PP

Mestra em Educação e graduada em Pedagogia pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Atualmente, é professora de Educação Infantil na Prefeitura Municipal de Presidente Prudente .Tem experiência na área da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: formação de professores, representações sociais, identidade profissional e educação infantil. É membro do Grupo de trabalho: Escuta, fala, pensamento e imaginação, responsável pela elaboração da Matriz Curricular pela Secretaria de Educação Municipal de Presidente Prudente e membro do Grupo de Pesquisa “Profissão docente: Formação, Identidade e Representações Sociais” (GPDFIRS).

Referências

BALANDIER, G. As dinâmicas sociais. São Paulo: DIFEL, 1976.

BAYER, E. Práctica pedagógica y representaciones de la identidad profesional del enseñante. In: ESTEVE, J. M. (ed.). Profesores en conflicto. Madrid: Narcea, 1984. p.107-122.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1979. Tradução de: Luis Antero Reto e Augusto Pinheiro.

CORREIA, J. A., Matos, Manuel (2001). Solidões e solidariedades nos quotidianos dos professores. Porto, Asa, 2001.

CUNHA, M. I. da. O bom professor e sua prática pedagógica. Campinas: Papirus, 1989. (Coleção Magistério: formação e trabalho pedagógico).

ERIKSON, E. H. Identidade, juventude e crise. 2ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1976.

ESTEVES, J. M. O mal estar docente: a sala de aula e a saúde dos professores. Tradução Durley de Carvalho Cavicchia. Bauru, SP: EDUSC, 1999.

FINO, C. N. Vygotsky e a Zona de desenvolvimento Proximal (ZDP): três implicações pedagógicas. In: Revista Portuguesa de Educação, vol. 14, nº 2, pp. 273 – 291. Disponível em: http://www3.uma.pt/carlosfino/Documentos/ZonaDesenvolvimentoProximal.pdf> Acesso em: 26 jun. 2020

GARCÍA, C. M. O professor iniciante, a prática pedagógica e o sentido da experiência. Form. Doc., Belo Horizonte, v. 3, n. 3, p. 11-49, ago./dez. 2010. Disponível em: <http://formacaodocente.autenticaeditora.com.br>. Acesso em: 7 mai. 2020.

GERALDI, C. M. G.; FIORENTINI, D.; PEREIRA, E. M. A. Cartografias do trabalho docente. Professor (a)-pesquisador(a). Campinas: Mercado de Letras, 2001.

GEBRAN, R. A.; ARANTES, A. P. P.; STÁBILE, R. F. A formação do pedagogo no Brasil: fundamentos legais. In: Pedagogia em Foco, n. 8, 2013.

GIDDENS, A. Sociologia. 4. ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2004.

GOMES, A. A. Identidades profissionais e representações sociais: a construção das representações sociais sobre 'ser professor'. In: VII Encontro de Pesquisa em Educação da Região Sudeste, 2005, Belo Horizonte. VII Encontro de Pesquisa em Educação da Região Sudeste, 2005. v. 1. p. 1-12.

HUBERMAN, Michael. O ciclo de vida profissional dos professores. In: NOVOA, Antonio (Org.). Vidas de professores. Porto: Porto Editora, 1995. p. 31-61.

KRUG, H. N. Os percursos e/ou ciclos de desenvolvimento profissional dos professores de Educação Física. 2012. Disponível em <http://gepefufsm.blogspot.com.br/2012/01/cenas-e-cenarios-sobre-formacaoe_07.html>. Acesso em: 4 jun. 2020.

MARTINS, J. B. A noção de identidade e o olhar multirreferencial: colocando algumas questões para a educação! Psi, Londrina, v. 1, n. 2, p. 1 -1 4, nov. 1999.

PIMENTA, Selma Garrido. Formação De Professores - Saberes da docência e identidade do professor. Nuances- Vol. III- setembro de 1997.

______. Saberes Pedagógicos e Atividade Docente. Cortez: São Paulo, 1999.

PRINCIPE, L. M. ; ANDRÉ, M. Condições de trabalho na fase de indução profissional dos professores. Currículo Sem Fronteiras, v. 19, p. 60-80, 2019.

ROLDÃO, M. C. Função docente: natureza e construção do conhecimento profissional. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 12, n. 34, p. 94-103, 2007.

ROLDÃO, M. C. et al. O conhecimento profissional dos professores – especificidade, construção e uso: da formação ao reconhecimento social. Revista Brasileira de formação de professores, Viseu, v. 1, n. 2, p. 138-177, set. 2009.

SILVA, Carmem Silvia Bissoli da. Curso de pedagogia no Brasil: história e identidade. 3. ed. – Campinas, SP: Autores Associados, 2006. (Coleção polêmicas do nosso tempo; 66).

TEODORO, A. Globalização e educação. Políticas educacionais e novos modos de governação. São Paulo, Cortez, 2003.

WELLER, W. Grupos de discussão na pesquisa com adolescentes e jovens: aportes teórico-metodológicos e análise de uma experiência com o método. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 32, n. 2, p. 241-260, mai./ago. 2006.

WOODWARD, K. Identidade e diferença: uma introdução teórico e conceitual. In SILVA, Tomaz Tadeu da. Identidade e Diferença. A perspectiva dos Estudos Culturais. Petrópolis: Vozes, 2000.

Downloads

Publicado

30/08/2022

Como Citar

Pinto, A. G. (2022). DE ESTUDANTE A PROFESSOR: ESTUDO SOBRE A FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES E INGRESSO NA CARREIRA. INTERFACES DA EDUCAÇÃO, 13(38). https://doi.org/10.26514/inter.v13i38.5336