AS PERCEPÇÕES DE PROFESSORES SOBRE O SABER A ENSINAR MATEMÁTICA NOS ANOS INICIAIS

Autores

  • Janaina Batista dos Prazeres Universidade Federal do Pará
  • Tadeu Oliver Gonçalves Universidade Federal do Pará.

DOI:

https://doi.org/10.26514/inter.v12i36.6619

Palavras-chave:

Formação de professores dos anos iniciais, Saber a ensinar, Ensino de matemática.

Resumo

Nesta pesquisa, abordamos os saberes profissionais de professores que ensinam matemática nos anos iniciais da educação básica. Nesse sentido, o estudo teve como objetivo evidenciar os saberes a ensinar matemática nos anos iniciais produzidos por pedagogos ao relatar sua prática docente. Para isso, estivemos juntos a seis professores do município de Castanhal-PA que lecionavam nos anos iniciais no ano de 2020 e possuíam formação no curso de Licenciatura em Pedagogia da Universidade Federal do Pará - Campus Universitário de Castanhal. Destacamos que por conta das medidas restritivas de combate à Covid-19, a aproximação com os professores ocorreu de forma online, utilizando duas plataformas virtuais que possibilitaram a realização de reuniões síncronas entre os pesquisadores e os professores investigados, para assim, viabilizar a produção de informações. Desta forma, para a produção de informações, de modo individual, realizamos entrevistas semiestruturadas, as quais foram gravadas e posteriormente transcritas. A análise e interpretação das informações foram desenvolvidas a partir da perspectiva da metodologia de natureza qualitativa, utilizando-se da Análise Textual Discursiva (ATD). Indicando de modo geral que a construção dos saberes a ensinar matemática nos anos iniciais não são estabelecidos de maneira significativa na formação inicial para que seja possível o ingresso do professor em sala de aula. Nesse sentido, os professores compreendem que seria necessário uma abordagem mais próxima à prática do processo de ensino e aprendizagem de matemática. Por isso, os docentes indicam que os saberes a ensinar são distantes dos enfrentamentos encontrados no ambiente escolar e apresentam fragilidades em relação aos conteúdos matemáticos previstos para os anos iniciais.

Biografia do Autor

Janaina Batista dos Prazeres, Universidade Federal do Pará

Licenciada em Matemática pela Universidade Federal do Pará (2017). Mestre em Educação em Ciências e Matemáticas pela Universidade Federal do Pará (2021). Pesquisadora do Grupo de Pesquisa (trans)formar do PPGECM/UFPA. Desenvolve pesquisas Em educação Matemática com ênfase NA Formação de Professores.

Tadeu Oliver Gonçalves, Universidade Federal do Pará.

Licenciado em Matemática pela Universidade Federal do Pará (1976), Mestre em Ensino de Ciências e Matemática pela Universidade Estadual de Campinas (1981) e Doutor em Educação Matemática pela Universidade Estadual de Campinas (2000). É professor titular da Universidade Federal do Pará. É docente/pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática (PPGECM/IEMCI/UFPA) - Mestrado e Doutorado, desde o seu início, em 2002 (NPADC). Também é docente do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática (REAMEC). Tem experiência na área de Educação Matemática e seu campo de pesquisa tem ênfase na Formação de Formadores e Professores de Matemática.

Referências

Referências

ALMEIDA, M.; LIMA, M. Formação inicial de professores e o curso de pedagogia: reflexões sobre a formação matemática. Revista ciência e educação. v.18, n.2, p.451-468, 2012. DOI: https://doi.org/10.1590/S1516-73132012000200014

BERTINI, L. MORAIS, R. VALENTE, W. A matemática a ensinar e a matemática para ensinar: novos estudos sobre a formação de professores. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2017.

CURI, E. A matemática e os professores dos anos iniciais. São Paulo: Musa Editora, 2005.

FIORENTINI, D.; SOUZA JÚNIOR, A. J.; MELO, G. F. A. Saberes docentes: um desafio para acadêmicos e práticos. In: GERALDI, C.M.G. et al. (Orgs.). Cartografias do trabalho docente: professor(a) pesquisador(a). Campinas: Mercado de Letras, 1998. p. 307-335.

GATTI B. A. Formação inicial de professores para a educação básica: pesquisas e políticas educacionais. Est. Aval. Educ., São Paulo, v. 25, n. 57, p. 24-54, 2014. DOI: https://doi.org/10.18222/eae255720142823

GATTI B. A.; BARRETTO E. Professores do Brasil: impasses e desafios. Brasília: Unesco, 2009.

GATTI, B. A.; BARRETTO, E. S.; ANDRÉ, M. E. D. A.; ALMEIDA, P. C. A. Professores do Brasil: novos cenários de formação – Brasília: UNESCO, 2019.

ILLERIS, Knud (org.). Teorias contemporâneas da aprendizagem. Tradução: Ronaldo Costa. Porto Alegre: Penso, 2013.

LÜDKE, M. O professor, seu saber e sua pesquisa. Educação & Sociedade, ano XXII, nº 74, p. 77-96, Abril, 2001. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-73302001000100006

MRECH, L. Psicanálise e educação: novos operadores de leitura. São Paulo: Pioneira, 2003.

MIETTO, Vera Lucia. A Importância da Neurociência na Educação. In: Neuroeducação e educação inclusiva. Porto Alegre, 2012.

MINAYO, M. C. S. (org.). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 2° Reimpressão. Petrópolis, RJ: Vozes, 2019.

MORAES, Roque. Uma tempestade de luz: a compreensão possibilitada pela análise textual discursiva. Revista Ciência e Educação, v.9, n. 2, p. 191-211, 2003. DOI: https://doi.org/10.1590/S1516-73132003000200004

MORAES, R.; GALIAZZI, M. C. Análise textual discursiva: processo reconstrutivo de múltiplas faces. Ciência & Educação, Bauru, v. 12, n. 1, p. 117-128, abr. 2006. DOI: https://doi.org/10.1590/S1516-73132006000100009

PIMENTA, S. G.; ANASTASIOU, L. das G. C. Docência no ensino superior. São

Paulo: Cortez Editora, 2002.

PIZYBLSKI, L. M.; JUNIOR, G. S.; PINHEIRO, N. A. M. Relações entre o Ensino da Matemática e a Neurociência. In: I Simpósio Nacional de Ensino de Ciência e Tecnologia. Curitiba. Anais eletrônicos. ISBN: 978-85-7014-048-7, p. 1138-1153, 2009.

PONTE, J. P. Concepções dos Professores de Matemática e Processos de Formação. Educação matemática: Temas de investigação. Lisboa: Instituto de Inovação Educacional, p. 185-239, 1992.

PUENTES, R. V.; AQUINO, O. F.; NETO, A. Q. Profissionalização dos professores: conhecimentos, saberes e competências necessários à docência. Educar, Curitiba, n. 34, p. 169-184, 2009. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-40602009000200010

ROLDÃO, M. C. Função docente: natureza e construção do conhecimento profissional. Revista Brasileira de Educação v. 12 n. 34, p. 94-103, jan./abr, 2007. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-24782007000100008

TARDIF, M. Saberes profissionais dos professores e conhecimentos universitários: elementos para uma epistemologia da prática profissional dos professores e suas consequências em relação à formação para o magistério. Revista Brasileira de Educação. Rio de Janeiro, n° 13, p. 5-24, 2000.

__________. Saberes docentes e formação profissional. 6ª Reimpressão. Petrópolis, RJ:

Editora Vozes, 2014.

TARDIF, M. LESSARD, C. LAHAYE, L. Os professores face ao saber: esboço de uma problemática do saber docente. Teoria e Educação. Porto Alegre, n° 4, p. 215-233, 1991.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ. Projeto Pedagógico do Curso de Pedagogia. Belém, Pa. 2010. Disponível em:

http: //faed.ufpa.br/arquivos/Acad%C3%AAmico2/PPCPedagogia.pdf

YIN, Robert. Pesquisa qualitativa do início ao fim. Tradução: Daniel Bueno. Reimpressão. Porto Alegre: Penso, 2017.

Downloads

Publicado

2021-12-13

Como Citar

dos Prazeres, J. B., & Gonçalves, T. O. (2021). AS PERCEPÇÕES DE PROFESSORES SOBRE O SABER A ENSINAR MATEMÁTICA NOS ANOS INICIAIS. INTERFACES DA EDUCAÇÃO, 12(36). https://doi.org/10.26514/inter.v12i36.6619

Edição

Seção

Artigos Temáticos