Formação na graduação em enfermagem e impacto na atuação profissional na perspectiva de egressos

Visualizações: 1020

Autores

  • Rosa Maria Rodrigues Unioeste
  • Solange de Fátima Reis Conterno Unioeste
  • Giovanna Carolina Guedes

Palavras-chave:

Educação Superior. Enfermagem. Estudante de Enfermagem.

Resumo

Pesquisa realizada com egressos de graduação objetivando verificar em que medida a formação acadêmica recebida, em suas diferentes áreas habilitou para o desenvolvimento da prática profissional. Estudo quantitativo, com delineamento transversal. Utilizado questionário para obter os dados que apresentaram fragilidades na formação nas áreas básicas, saúde mental, clínica médica e cirúrgica e administração de enfermagem; foram melhor avaliadas as áreas de enfermagem fundamental, saúde coletiva, saúde da mulher, saúde da criança e adolescentes e licenciatura em enfermagem; apresentou-se problemática a relação teoria e prática, os métodos de ensino e as estratégias de avaliação. Conclui-se que o curso deve resgatar a formação nas áreas indicadas como frágeis em sua relação com a inserção laboral; repensar a relação teoria e prática, os seus métodos de ensino e as estratégias de avaliação.

 

 

Biografia do Autor

Rosa Maria Rodrigues, Unioeste

Enfermeira. Professora no Programa de Pós-graduação Mestrado em Biociências e Saúde e do Curso de Graduação em Enfermagem. Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste). Cascavel, Paraná, Brasil

Solange de Fátima Reis Conterno, Unioeste

Pedagoga. Professora do Curso de Enfermagem. Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste). Cascavel, Paraná, Brasil.

Downloads

Publicado

13-10-2015

Como Citar

Rodrigues, R. M., Conterno, S. de F. R., & Guedes, G. C. (2015). Formação na graduação em enfermagem e impacto na atuação profissional na perspectiva de egressos. INTERFACES DA EDUCAÇÃO, 6(17), 26–43. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/interfaces/article/view/744