Corporeidade e motricidade como tema no processo de formação em pedagogia

Visualizações: 2518

Autores

  • Denilson José de Oliveira Universidade de Pernambuco
  • Tarcísio Fulgêncio Alves da Silva Universidade de Pernambuco
  • Carlos Dornels Freire de Souza Faculdade São Francisco de Jauzeiro

DOI:

https://doi.org/10.26514/inter.v8i22.1448

Palavras-chave:

Pedagogia. Desenvolvimento motor. Educação infantil. Corporeidade.

Resumo

O profissional pedagogo é um dos responsáveis pela orientação e estimulação do desenvolvimento da criança em seus aspectos cognitivos, físicos e afetivo social durante o ensino infantil. A formação em Pedagogia deve contemplar o embasamento teórico e prático sobre motricidade bem como a abordagem da cultura corporal, para que os futuros docentes que atuarem no ensino infantil fundamentem as atividades didático-pedagógicas de acordo com as características de cada criança. O estudo tem por objetivo analisar como o tema corporeidade é abordado no processo de formação em pedagogia correlacionando com as prerrogativas das Diretrizes Curriculares Nacionais em Pedagogia e documentos oficiais relacionados ao currículo da Educação Infantil. Trata-se de um estudo exploratório, utilizando análise documental e revisão bibliográfica com abordagem predominantemente qualitativa. Ainda discutido de maneira incipiente e com pouca especificidade na literatura, o tema da corporeidade e da motricidade na escola aborda importantes questões a serem discutidas em relação a formação em Pedagogia e sua consequente atuação junto as crianças da Educação Infantil.

 

Biografia do Autor

Denilson José de Oliveira, Universidade de Pernambuco

Professor do Curso de Fisioterapia da Faculdade São Francisco de Juazeiro.  Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Formação de Professores e Práticas Interdisciplinares – Mestrado Profissional. Membro do Grupo de Pesquisa em Saúde Coletiva (GPESC).

Tarcísio Fulgêncio Alves da Silva, Universidade de Pernambuco

Doutor em Ciências da Saúde pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUC/PR. Professor do Curso de bacharelado em Fisioterapia e do Programa de Pós-Graduação em Formação de Professores e Práticas Interdisciplinares – Mestrado Profissional da Universidade de Pernambuco, campus Petrolina.  Líder do Grupo de Pesquisa em Saúde Coletiva (GPESC). Membro do Grupo de Estudos em Saúde, Reabilitação e Desempenho Funcional. 

Carlos Dornels Freire de Souza, Faculdade São Francisco de Jauzeiro

Professor do Curso de Fisioterapia da Faculdade São Francisco de Juazeiro. Doutorando em Saúde Pública pela Fundação Oswaldo Cruz, Recife, Pernambuco, Brasil. 

Referências

AQUINO, M. et. al. Psicomotricidade como ferramenta da educação física na educação infantil. Revista Brasileira de Futsal e Futebol, Edição Especial: Pedagogia do Esporte, São Paulo, v.4, n.14, p.245-257. Jan/Dez. 2012.

ARAUJO, L.F. A psicomotricidade como ferramenta pedagógica nas aulas de educação física. Trabalho de conclusão de Curso. Faculdade de Ciências da Educação e Saúde Centro Universitário de Brasília – UniCEUB. 2014. Disponível em < http://revistas.pucsp.br/index.php/curriculum/article/view/9032/6631> Acesso em: 21/08/2015.

BEZERRA, F.L.L; MOREIRA, W.W. Corpo e educação: o estado da arte sobre o corpo no processo de ensino aprendizagem. Revista Encontro de Pesquisa em Educação. Uberaba, v. 1, n.1, p. 61-75, 2013.

BATISTA, A.D.S. O movimento na educação infantil: como o professor de educação física pode contribuir? 2015. 45 f. Trabalho de Conclusão de Curso. Departamento de Educação Física, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.

BRASIL. Lei n. 9.394 de 20/12/96. Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, ano CXXXIV, n. 248, p. 27.833-27.841, 23 dez. 1996.

______. Lei de Diretrizes e bases da educação nacional. Lei 9.394/96. 10ª ed. Carlos Roberto Jamil Cury. Rio de Janeiro: DP&A, 2006, p. 214.

______. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de educação fundamental. Referencial curricular nacional para a educação infantil. Brasília: MECSEF, 1998, 269 p.

_______. Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental, Coordenação Geral de Educação Infantil, Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil, Conhecimento de Mundo, v. 3, Brasília-DF, 1998.

______. RESOLUÇÃO CNE/CP 1/2006. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, licenciatura. Diário Oficial da União, Brasília, 16 de maio de 2006, Seção 1, p. 11.

COSTA, R. T. A habilitação em Educação Infantil no curso de Pedagogia da PUC-SP: um estudo de caso. 2005. 193f. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, 2005.

DAOLIO, J. Educação Física e o conceito de cultura. Edição 3º, Autores Associados, 2010.

DIAS, R.S. L. Crítica da concepção de criança, de educação e de cultura corporal na educação infantil: análise dos documentos oficiais. Dissertação de Mestrado – Programa de Pós-graduação em Educação – UEFS. Feira de Santana, 2015. Disponível em: http://tede2.uefs.br:8080/handle/tede/340#preview-link0. Acesso em: 06 de dez. 2016.

FREITAS, L.C.A. Luta por uma pedagogia do meio: revisitando o conceito. IN: PISTRAK, MoiseyMikhaylovich. A escola comuna. Tradução de Luiz Carlos de Freitas e Alexandra Marenich. 1 ed. São Paulo: Expressão Popular, 2009.

FUNDAÇÃO VALE. Proposta pedagógica de esporte: Brasil Vale Ouro. Brasília: Fundação Vale, UNESCO, 2013.

GUIMARÃES, A. M.; MOREIRA, W.W. Educação física no ensino médio: o estudo da corporeidade. In: IV MOSTRA ACADÊMICA UNIMEP, 2012, Piracicaba. Anais... Piracicaba: UNIMEP, p.1-6, 2006

HAYWOOD, K. M.; GETCHELL, N. Desenvolvimento motor ao longo da vida. Porto Alegre: Artmed, 5ª ed., 2010.

KULISZ, B. Professoras em cena: o que faz a diferença? Porto Alegre: Mediação, 2004, 128 p.

KRAMER, S. (Org.). Retratos de um desafio. Crianças e adultos na educação infantil. São Paulo: Ática, 2009.

LE BOULCH, J. Educação psicomotora: a psicocinética na idade pré-escolar. Porto Alegre: Artmed, 2001.

LIMA, R. C.; SÉRGIO, M. C.; SOUZA, A. C. A prática docente do professor da educação infantil: Contribuições para o desenvolvimento das crianças. Revista e-curriculum, São Paulo, v.8 n.1 abril, 2012. Disponível em: < http://revistas.pucsp.br/index.php/curriculum >. Acesso em: 20/08/2015.

LOPES, A. C. Currículo e epistemologia. Ijuí: Editora UNIJUÍ, 2007. 232p.

MELO, A.C.S.F. Psicomotricidade e formação dos professores de educação infantil. Trabalho de conclusão de curso. Centro Universitário de Brasília – UniCEUB. Faculdade de Ciências da Educação e Saúde – FACES, 2015. Disponível em: http://www.repositorio.uniceub.br/bitstream/235/7556/1/21355025.pdf. Acesso em: 12/01/2016.

MEUR, D.; STAES, L. Psicomotricidade: educação e reeducação: níveis maternal e infantil. São Paulo, Manole, 1989.

NEGRINE, Airton. O corpo na educação infantil. Caxias do Sul: EDUCS, 2002, 234 p.

NEGRINE, Airton. O corpo na educação infantil. Caxias do Sul: EDUCS, 2002, 234 p.

NEIS, G. Percepção do pedagogo sobre a importância do desenvolvimento psicomotor na primeira infância. Revista digital efdeportes http://www.efdeportes.com/ - Buenos Aires - Año 14 - Nº 140 - Enero de 2010.

NÓBREGA, T. P. da. Uma fenomenologia do corpo. Natal: Editora livraria da Física, 2010

NONO, MaéviAnabel. Breve Histórico da Educação Infantil no Brasil. Acervo digital da Unesp [Online], Botucatu, 2010. Disponível em: http://www.acervodigital.unesp.br/handle/123456789/227. Acesso em: 10 de dez. 2016.

OLIVEIRA, L.M.; BAGAGI, P.S. Psicomotricidade e desenvolvimento motor na pré-escola. Revista científica eletrônica de pedagogia. Ano VII – Número 13 – Janeiro de 2009.

OLIVEIRA, A.F.S.; SOUZA, J. M. A importância da psicomotricidade no processo de aprendizagem infantil. Revista Fiar: Revista Núcleo de Pesquisa e Extensão. Ariquemes, v.2, n.1, p.125-146, 2013.

OLIVEIRA, D.R.; SILVA, R.A.G.; GUIMARÃES, C.M. Formação do professor de educação infantil no curso de pedagogia: reflexões a partir da análise das produções científicas (2002-2013). Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, v. 10, n. 1, 2015.

OLIVEIRA, Z.N.R. Base Nacional Comum para a Educação Infantil: um tema em debate. Revista Veras, São Paulo, v. 5, n. 2, p. 78-87, julho/dezembro, 2015.

PAPALIA, D.; OLDS, S.W. Desenvolvimento humano. São Paulo: ArtMéd, 2000.

SILVA, A. R. O LUGAR DO CORPO NA ESCOLA: Uma revisão da abordagem psicomotora direcionada a crianças de 4 a 6 anos. Monografia – UNICEUB - Centro Universitário de Brasília. Brasília, 2005. Disponível em: http://repositorio.uniceub.br/bitstream/235/6576/1/40250770.pdf. Acesso em: 30 nov.de 2016.

UNESCO. Bases sólidas: educação e cuidados na primeira infância. São Paulo, Moderna, 2007, 416 p.

VIEIRA, M.N.A.; CÔCO, V. Avaliação e Currículo na Educação Básica: a especificidade da Educação Infantil. Práxis Educativa, Ponta Grossa, p. 812-831, v. 11, n. 3, set./dez. 2016. Disponível em: http://www.revistas2.uepg.br/index.php/praxiseducativa. Acesso em: 08 dez. 2016.

Downloads

Publicado

16-05-2017

Como Citar

Oliveira, D. J. de, Silva, T. F. A. da, & Souza, C. D. F. de. (2017). Corporeidade e motricidade como tema no processo de formação em pedagogia. INTERFACES DA EDUCAÇÃO, 8(22), 336–362. https://doi.org/10.26514/inter.v8i22.1448