Reflexões sobre a horizontalidade do conhecimento no contexto da Educação do Campo: por uma visão ecológica do saber

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26514/inter.v13i37.4534

Palavras-chave:

Educação do Campo. Territórios. Horizontalidade do Saber.

Resumo

No presente trabalho, busca-se refletir sobre a horizontalidade do conhecimento no contexto da Educação do Campo. Entende-se que os cursos de Licenciatura de Educação do Campo, implementados numa perspectiva multi e transdisciplinar, são resultados de uma luta histórica dos povos do campo ao direito a uma formação de educadores para atuarem em seus territórios. Nesse sentido, buscamos refletir e contribuir com tal discussão buscando trazer experiências dentro do curso de licenciatura em Educação do Campo CEUNES/UFES, tendo por base atividades pedagógicas e educativas que possibilitem relacionar os conhecimentos produzidos em seus territórios com as experiências tecidas no interior do curso pelo que denominados por Seminário Integrador. Tecemos nossas considerações articuladas às nossas experiências com base em Munarim (2006), da noção de território de Fernandes (2006), a perspectiva ecológica de saberes de Souza Santos (2010) e a perspectiva de educação crítica de Freire (1996, 1974). Os resultados revelam que o espaço Seminário Integrador possibilita dar voz a um grupo de discentes que buscam incorporar outra perspectiva de visibilizar seu conhecimento bem como compreendê-lo com particularidade territorial.

Biografia do Autor

Débora Schmitt Kavalek, Universidade Federal do Espírito Santo

Doutora em Educação em Ciências pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2016). Possui graduação
em Química pela Universidade de Passo Fundo (1999), especialização em Práticas Pedagógicas pela Faculdade
de Educação de Joinville (2004), especialização em Docência Universitária pela Universidade Tecnológica
Nacional, Buenos Aires, Argentina (2010), especialização em Orientação Escolar pela Associação Catarinense de
Ensino- Faculdade Guilherme Guimbala (2012), aperfeiçoamento em Atendimento Educacional Especializado pela
Universidade Estadual de Goiás e Mestrado em Educação pela Universidade Tecnológica Nacional (UTN), Buenos
Aires, Argentina (2011). Atuou na Educação Básica, nas disciplinas de Química, Matemática, Ciências, Educação
Ambiental, Informática Educativa, classes de Atendimento Educacional Especializado e na Gestão Escolar. Possui
experiência com alunos, desde a Educação Infantil, até o Ensino Superior. Pesquisadora da área de Filosofia e
História da Química, principalmente aos aspectos voltados ao Ensino de Química. Atualmente é Professora do
Magistério Superior (Adjunto A) sob o regime de dedicação exclusiva no Departamento de Educação e Ciências
Humanas na Universidade Federal do Espírito Santo, campus São Mateus. Principal área de atuação: Ensino de
Química e Ciências; História e Filosofia da Ciência; Educação do Campo; Saberes tradicionais; Formação de
professores; Alfabetização científica.

Professora Adjunta do Departamento de Educação e Ciências Humanas (DECH)

Centro Universitário Norte do Espírito Santo (CEUNES) 

Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Contato: 3312-1732

Link currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/6262910510529338

Záira Bomfante dos Santos, Universidade Federal do Espírito Santo

Profª Záira Bomfante dos SantosDoutora em Estudos Linguísticos (Poslin/UFMG)Professora Adjunta do Departamento de Educação e Ciências Humanas - Ceunes/UfesContato: 3312-1732Link currículo Lattes: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4710345P6 

Referências

BRASIL, Decreto n. 7.352, de 04 de novembro de 2010. Dispõe sobre a política de educação do campo e o Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária – PRONERA. Diário Oficial da União, Brasília: 2010.

FERNANDES, B. M. Os campos da Pesquisa em Educação do Campo: espaço e território como categorias essenciais. In: CASTAGNA, M. M. (Org). Educação do Campo e Pesquisa: questões para reflexão. Brasília, Ministério do Desenvolvimento Agrário, 2006.

FERREIRA, S. R. B. Diálogo de Saberes: potencialidades teóricas e metodológicas do conhecimento quilombola para as atividades de ensino no norte do Espírito. Revista KIRI-KERÊ: Pesquisa em Ensino. Comunidades tradicionais e escola: enlace de aprendizagens e territórios de conhecimentos. Dossiê, n.1, dezembro, 2018, p. 35-60.

FREIRE, P. Educação como prática da liberdade. 1ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1967.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1974.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 17ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, P. Pedagogia da Esperança: um reencontro com a Pedagogia do Oprimido.

Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: Saberes necessários à prática educativa. 30ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

KUHN, T. S. A estrutura das revoluções científicas. 2 ed. São Paulo: Perspectiva, 1987.

MELO. I. F. M. Histórico da análise de discurso crítica. In: BATISTA JR, J. R. L.; SATO, D. T. B.; MELO, I. F. M. (Orgs.). Análise de Discurso Crítica para linguistas e não linguistas. São Paulo: Párabola, 2018.

MORIN, E. Complexidade e transdisciplinaridade: a reforma da universidade e do Ensino Fundamental. Natal: Editora da UFRN, 1999.

MORIN, E. Os sete saberes necessário à educação. 5ª ed. São Paulo: Cortez; 2002.

MORIN, E. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Tradução

Eloá Jacobina. 9. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004.

MUNARIM, A. Elementos para uma Política de Educação do Campo. IN: CASTAGNA, M. M. (Org). Educação do Campo e Pesquisa: questões para reflexão. Brasília, Ministério do Desenvolvimento Agrário, 2006.

PORTO-GONÇALVES, Carlos Walter. De saberes e territórios: diversidade e emancipação a partir da experiência latino americana. GEOgraphia – Revista do Programa de Pós Graduação em Geografia da UFF, Rio de Janeiro, Ano VIII, n.16, p.37-52, dezembro de 2006.

SANTOS, Z. B.; BRITO, C. L. Contribuições dos Estudos do Texto e do Discurso para a Educação do Campo: Uma reflexão sobre práticas de letramento com gêneros jornalísticos. In: OLIVEIRA, U.J.; SANTOS, Z. B. (Orgs). O Ensino na Educação Básica: diálogos e possiblidades. Vitória, ES: Editora Milfontes, 2017.

SOMMERVILLE, S. Transdisciplinaridade, onda do futuro: Como preparar nossas praias. Revista Tempo Brasileiro, 113, pp. 75-96, 1993.

SOUZA SANTOS, B. Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes. In: SOUZA SANTOS, B; MENESES, M. P. (Orgs.). Epistemologias do Sul. São Paulo: Editora Cortez, 2010.

UNSWORTH, L. Teaching multiliteracies across the curriculum: changing contexts of text and image in classroom practice. Open University Press: New York, 2001[2004].

Downloads

Publicado

2022-05-21

Como Citar

Kavalek, D. S., & dos Santos, Z. B. (2022). Reflexões sobre a horizontalidade do conhecimento no contexto da Educação do Campo: por uma visão ecológica do saber. INTERFACES DA EDUCAÇÃO, 13(37). https://doi.org/10.26514/inter.v13i37.4534

Edição

Seção

Artigos