Desafios pedagógicos e as especificidades na formação de professores e professoras na Licenciatura em Educação do Campo da Ufes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26514/inter.v13i37.4647

Palavras-chave:

Ensino Superior, Formação de professores, Licenciatura em Educação do Campo,

Resumo

Este artigo apresenta resultados de uma pesquisa sobre os desafios da permanência estudantil
no curso de Licenciatura em Educação do Campo – campus Goiabeiras da Universidade
Federal do Espírito Santo (Ufes), uma graduação caracterizada pela formação multidisciplinar
por área de conhecimento e pela alternância de tempos e espaços formativos. Neste recorte,
temos como objetivo apresentar os princípios desta Licenciatura, atrelando-os a alguns
desafios pedagógicos elencados pelos discentes. Apesar de não se relacionarem diretamente à
permanência estudantil, tais desafios desdobram-se em importantes reflexões acerca da
natureza do curso e a forma como os estudantes o percebem. O referencial teórico-
metodológico utilizado baseia-se em Paulo Freire e em teóricos da educação popular. Para
produção de dados foram utilizados questionários, entrevistas individuais e coletivas e
análises compartilhadas, conforme os pressupostos da pesquisa participante. Sobre os desafios
pedagógicos do curso, a pesquisa mostrou que os discentes talvez ainda não compreenderam
totalmente a formação em Alternância e o princípio da interdisciplinaridade, refletindo a
dificuldade desta graduação para a atuação não fragmentada a partir do trabalho coletivo.
Todavia, no tocante às possibilidades de transformação, os resultados apontam que esta
Licenciatura tem contribuído para a ruptura de preconceitos e mudança de práticas pessoais
com vistas à emancipação social.

Biografia do Autor

Roberta Gonçalves Duarte, Universidade Federal do Espírito Santo

Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação de Mestrado Profissional em Educação da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Assistente em administração na UFES. Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas Paulo Freire (GEPPF - UFES).

Débora Monteiro do Amaral, Universidade Federal do Espírito Santo

Doutora em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Docente do Departamento de Educação, Política e Sociedade da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), com atuação na Licenciatura em Educação do Campo e no Programa de Pós-Graduação de Mestrado Profissional em Educação. Coordenadora do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação do Campo do Espírito Santo (GEPECES) e uma das coordenadoras do Grupo de Estudos e Pesquisas Paulo Freire (GEPPF-UFES).

Referências

AMARAL, D. M.; LITTIG, P. H.; BRAVIM, S.; BREDA, A.L. A Pedagogia da Alternância

no Espírito Santo e a EFA São Bento do Chapéu. Rev. Bras. Educ. Camp., Tocantinópolis, v.

, e7305, 2019.

ANTUNES-ROCHA, Maria Isabel. Prefácio. In: BEGNAMI, J. B.; BURGHGRAVE, T. de.

(Org.). Pedagogia da alternância e sustentabilidade. Orizona: UNEFAB, 2013. – (Coleção

Agir e Pensar das EFAS do Brasil).

ARROYO, M. G. Políticas de Formação de Educadores (as) do Campo. Caderno Cedes,

Campinas, v. 27, n. 72, p. 157-176, maio/ago. 2007.

ARROYO, M. G. A Educação Básica e o Movimento Social do Campo. In: ARROYO, M.

G.; CALDART, R. S.; MOLINA, M. C. (Org.). Por Uma Educação do Campo. 5.ed.

Petrópolis, RJ: Vozes, 2011. p. 65-86.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Tradução de Luis Antero Reto e Augusto Pinheiro.

Lisboa: Edições 70, 1977.

BRANDÃO, C. R. Pesquisar-Participar. IN: BRANDÃO, C. R. (Org.). Pesquisa Participante.

ed. São Paulo: Brasiliense, 1985. p. 09-16.

CALDART, R. S. A Escola do Campo em Movimento. In: ARROYO, M. G.; CALDART, R.

S.; MOLINA, M. C. (Org.). Por Uma Educação do Campo. 5.ed. Petrópolis, RJ: Vozes,

a. p. 87-131.

CALDART, R. S. Por Uma Educação do Campo: traços de uma identidade em construção. In:

ARROYO, M. G.; CALDART, R. S.; MOLINA, M. C. (Org.). Por Uma Educação do

Campo. 5.ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011b. p. 147-158.

DUARTE, R. G. A Licenciatura em Educação do Campo da Ufes e os desafios da

permanência campesina no Ensino Superior. 2019. 260 f. Dissertação (Mestrado Profissional

em Educação) – Programa de Pós-Graduação de Mestrado Profissional em Educação,

Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2019.

FAZENDA, I. C. A. Integração e interdisciplinaridade no ensino brasileiro: efetividade ou

ideologia?. 4 ed. São Paulo: Edições Loyola, 1996.

FREIRE, P. Criando métodos de pesquisa alternativa: aprendendo a fazê-la melhor através da

ação. IN: BRANDÃO, C. R. (Org.). Pesquisa Participante. 5. ed. São Paulo: Brasiliense,

p. 34-41.

FREIRE, P.; SHOR, I. Medo e ousadia: o cotidiano do professor. 12.ed. Rio de Janeiro: Paz e

Terra, 2008.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 52.ed. Rio de

Janeiro: Paz e Terra, 2015.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 64.ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2017.

FREITAS, L. C. A Escola Única do Trabalho: explorando os caminhos de sua construção. In:

CALDART, R. S.; FETZNER, A. R.; RODRIGUES, R.; FREITAS, L. C. (Org.). Caminhos

para a transformação da escola: reflexões desde práticas da Licenciatura em Educação do

Campo. São Paulo: Expressão Popular, 2010. V. 1. P. 155-175.

MARTINS, M. de F. A.; COELHO, A. M. S.; MIRANDA, S. A. Desafios e possibilidades da

área de Ciências Sociais e Humanidades na formação para a docência no campo. In:

ANTUNES-ROCHA, M. I.; MARTINS, A. A. (Org.). Educação do Campo: desafios para a

formação de professores. 2 ed. Belo Horizonte, MG: Autêntica Editora, 2011. p. 95-106. -

(Coleção Caminhos da Educação do Campo, n. 1).

MOLINA, M. C.; SÁ, L. M. (Org.). Licenciaturas em Educação do Campo: Registros e

reflexões a partir das experiências-piloto (UFMG; UnB; UFBA e UFS). Belo Horizonte, MG:

Autêntica Editora, 2011. p. 357-364. - (Coleção Caminhos da Educação do Campo, n. 5).

MOLINA, M. C. Possibilidades e limites de transformações das escolas do campo: reflexões

suscitadas pela Licenciatura em Educação do Campo - UFMG In: ANTUNES-ROCHA, M.

I.; MARTINS, A. A. (Org.). Educação do Campo: desafios para a formação de professores. 2

ed. Belo Horizonte, MG: Autêntica Editora, 2011. p. 185-197. - (Coleção Caminhos da

Educação do Campo, n. 1).

MOLINA, M. C.; SÁ, L. M. Licenciatura em Educação do Campo. In: CALDART, R. S.;

PEREIRA, I. B.; ALENTEJANO, P.; FRIGOTTO, G. (Org.). Dicionário da Educação do

Campo. Rio de Janeiro: Escola Politécnica de São Joaquim Venâncio; São Paulo: Expressão

Popular, 2012. p. 468-474.

MOLINA, M. C. Expansão das licenciaturas em Educação do Campo: desafios e

potencialidades. Educar em Revista, Curitiba-PR, n. 55, p. 145-166, jan./mar. 2015.

MOLINA, M. C.; HAGE, S. M. Política de formação de educadores do campo no contexto da

expansão da educação superior. Revista Educação em Questão, Natal, v. 51, n. 37, p. 121-

, jan./abr. 2015.

MOLINA, M. C.; HAGE, S. M. Riscos e potencialidades na expansão dos cursos de

licenciatura em Educação do Campo. Revista Brasileira de Política e Administração da

Educação, Goiânia, v. 32, n. 3, p. 805–828, set./dez. 2016.

MOLINA, M. C. Contribuições das Licenciaturas em Educação do Campo para as políticas de

formação de educadores. Educação & Sociedade, Campinas, v. 38, nº. 140, p.587-609, jul.-

set. 2017.

Downloads

Publicado

2022-05-21

Como Citar

Gonçalves Duarte, R., & Monteiro do Amaral, D. (2022). Desafios pedagógicos e as especificidades na formação de professores e professoras na Licenciatura em Educação do Campo da Ufes. INTERFACES DA EDUCAÇÃO, 13(37). https://doi.org/10.26514/inter.v13i37.4647

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

> >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.