EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO HUMANO NO ENSINO SUPERIOR

OS DESAFIOS DA PERMANÊNCIA DAS MULHERES ESTUDANTES DURANTE A PANDEMIA

Autores

  • Estefani Gabrieli Alves de Souza UEMS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL
  • Keysa Katiere Garcia Secatti UEMS - Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
  • Lucelia Tavares Guimarães

DOI:

https://doi.org/10.26514/inter.v13i38.7117

Palavras-chave:

desenvolvimento humano, ensino superior, gênero, pandemia

Resumo

O presente artigo contribui para a discussão sobre o desenvolvimento humano no ensino superior, e, dessa forma, destaca o desafio da permanência das mulheres na universidade durante o período pandêmico. Para isso, buscamos conhecer as condições particulares deste evento, juntamente com as questões generificadas que atravessam o modo como as mulheres se apropriam do conhecimento. Mediante o exposto, o percurso teórico metodológico descreve as relações de gênero e desenvolvimento humano no ensino superior a partir do referencial situado na teoria Histórico-Cultural e na teoria do Care. Dessa forma, realizou-se um estudo teórico bibliográfico com base no método materialista histórico-dialético para estabelecer quais são as implicações da evasão, absenteísmo e ausência de mulheres no Ensino Superior. Partimos do constructo de que o Ensino Superior proporciona o acesso às formas mais elaboradas de cultura e conhecimento construídos historicamente que são responsáveis pelo desenvolvimento das funções psíquicas superiores. Concluímos que o período pandêmico ratificou a cultura hegemônica do patriarcado no sistema capitalista, a qual atribui às mulheres funções sociais específicas do processo de produção e reprodução da sociedade, por isso, muitas destas funções, a maioria delas relacionadas ao cuidado, dificultou e impossibilitou o acesso e a permanência das mulheres na universidade.

Referências

ALBERNAZ, A.; FERREIRA, F.; FRANCO, C. Qualidade e equidade no ensino fundamental brasileiro. Pesquisa e Planejamento Econômico, v. 32, n. 3, p. 453-476, 2002. Acesso em 15 de julho de 2002. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-40142001000200015.

ALMEIDA, W. M. ProUni e o ensino superior privado lucrativo em São Paulo: uma análise sociológica, São Paulo, 2014.

BEZERRA, N. Mulher e Universidade: a longa e difícil luta contra a invisibilidade. Faculdade de Educação, Ciências e Letras do Sertão Central, UECE: Quixadá, p.1-8, 2016.

BLAY, E. A.; CONCEIÇÃO, R. A mulher como tema nas disciplinas da USP. Cadernos de Pesquisa, n. 76, p. 50-56, 1991.

BRASIL. Atos do Poder Executivo. Medida Provisória n. 934, de 01 de abril de 2020. Estabelece normas excepcionais sobre o ano letivo da educação básica e do Ensino Superior decorrentes das medidas para enfrentamento da emergência de saúde pública de que trata a Lei n. 13.979, de 6 de fevereiro de 2020. Diário Oficial da União, ed. 63-A, seção 1, Brasília, DF, p. 1, 01 abr. 2020. Disponível em: http://www.in.gov.br/en/web/dou/-/medidaprovisoria-n-934-de-1-de-abril-de-2020-250710591

DIAS, M. S. de L.; PEREIRA, A. C. A importância da constituição do sujeito em Vigotski para o ensino superior. In: FARIA, Paula Maria Ferreira de; CAMARGO, Denise de; VENÂNCIO, Ana Carolina Lopes (org.). Vigotski no Ensino Superior: concepção e práticas de inclusão. Porto Alegre: Editora Fi, 2020.

DUARTE, N. Formação do indivíduo, consciência e alienação: o ser humano na psicologia de A. N. Leontiev. Cad Cedes,Campinas, v. 62, n. 24, p. 34-63, abr. 2004.

FEDERICI, S. Calibã e a bruxa. Mulheres, corpo e acumulação primitiva. São Paulo: Editora Elefante, 2017.

FELICETTI, V. L. Comprometimento do aluno ProUni: acesso, persistência e formação acadêmica. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos [online]. 2014, v. 95, n. 241, pp. 526-543. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S2176-6681/301911955>.

FREITAS, M. G. P. et al. Os desafios da entrada e permanência da universidade por estudantes da classe trabalhadora. In: Encontro latino-americano de Iniciação Científica. 21., 2017, Universidade do Vale do Paraíba. Anais [...]. Universidade do Vale do Paraíba, 2017.

GUSSO, H. L. et al. Ensino superior em tempos de pandemia: diretrizes à gestão universitária. Debates & Polêmicas, v. 41, n. 1, p. 1-27, jan. 2020.

HIRATA, H.; GUIMARÃES, N. A. (org.). Cuidado e cuidadoras: as várias faces do trabalho do care. São Paulo: Atlas S.A, 2012.

HIRATA, H.; KERGOAT, D. Novas configurações da divisão sexual do trabalho. Cadernos de Pesquisa, v.37, n.132, 595-609, 2007. Disponível: https://www.scielo.br/j/cp/a/cCztcWVvvtWGDvFqRmdsBWQ/?format=pdf&lang=pt

LEONTIEV, A. O desenvolvimento do Psiquismo. 2. ed. São Paulo: Centauro Editora, 2004.

MARX, K. Miséria da Filosofia: resposta à filosofia da miséria do senhor Proudhon. São Paulo: Centauro, 2001.

MARTINS, L. M.; RABATINI, V. G. A Concepção de Cultura em Vigotski: contribuições para a educação escolar. Psicologia Política, São Paulo, v. 11, n. 22, p. 345-358. Dez, 2011.

MONTEIRO, S. A. de S. Empoderamento feminino e a formação cidadã para a emancipação da mulher. Revista online de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 22, n. 3, p. 1182-1197, set./dez., 2018

NUNES, R. C. Um olhar sobre a evasão de estudantes universitários durante os estudos remotos provocados pela pandemia do COVID-19. Research, Society and Development, v. 10, n. 3, 2021. Acessado em 15 de julho de 2022. Disponível em: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v10i3.13022

PACHECO, E. Mulheres Mil na Rede Federal: caminhos da inclusão. Página do Programa Mulheres Mil. 2011.

PIRES, A. A Covid-19 e a Educação Superior no Brasil: usos diferenciados das tecnologias de comunicação virtual e o enfrentamento das desigualdades educacionais. Educación, Lima, v. 30, n. 58, p. 83-103, 2021

ROLDÃO, F. D. et al. Reflexões sobre o trabalho do professor universitário: um olhar a partir da teoria de vigotski. In: FARIA, Paula Maria Ferreira de; CAMARGO, Denise de;

SILVA, V. G. da. Psicologia Histórico-Cultural e o desenvolvimento infantil: compreendendo o processo de escolarização. 2010. 157 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2010.

SAFFIOTI, H. A mulher na sociedade de classe: mito e realidade. São Paulo: Expressão Popular, 2013.

SOUZA, A. L. B. R. de; GOMES, M. dos S.; SILVA, V. P. da. Emancipação da mulher, formação integral e contribuições da expressão musical. Educação em Revista, Marília, v. 21, p. 103-120, mar. 2020.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

________________. Aprendizagem e desenvolvimento na idade escolar. In: Luria, A.R. Leontiev, A. Vygotsky, L.S. Psicologia e pedagogia: bases psicológicas da aprendizagem e do desenvolvimento. Lisboa: Estampa, p. 31-50. 1977

________________. Pensamento e Linguagem. São Paulo, Martins Fontes, 1987.

VITTI, S. C. de A.; DE AZEVEDO, M. A. S. B. Reflexões sobre o desenvolvimento humano na perspectiva histórico-cultural: relações e inter-relações da mediação cultural, da escola e do professor. Revista Profissão Docente, [S. l.], v. 18, n. 39, p. 360–372, 2018. Disponível em: http://www.revistas.uniube.br/index.php/rpd/article/view/1219. Acesso em: 3 dez. 2021.

Downloads

Publicado

30/08/2022

Como Citar

Alves de Souza, E. G., Katiere Garcia Secatti, K., & Tavares Guimarães, L. (2022). EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO HUMANO NO ENSINO SUPERIOR: OS DESAFIOS DA PERMANÊNCIA DAS MULHERES ESTUDANTES DURANTE A PANDEMIA. INTERFACES DA EDUCAÇÃO, 13(38). https://doi.org/10.26514/inter.v13i38.7117