MONA NÃO DAH TRUQUE, NÃO SEJA PÃO COM OVO; VAMOS NÓS AQUENDAR NA TECNOLOGIA

Autores

  • Marco Aurélio de Almeida Soares Universidade Católica Dom Bosco

Palavras-chave:

Tecnologia. Escola. Identidade de Gênero.

Resumo

A proposta deste artigo é mostrar os meios digitais que o estudante tem usado para se comunicar com os seus pares. Busca compreender essa linguagem e levar para a sala de aula de forma interdisciplinar onde todos possam contribuir para uma formação híbrida na escola. Aqui apresentamos de forma descontraída o Bajuba, uma linguagem muito comum usada por estudantes seja ele Cis ou não binário. O uso desta linguagem está sendo muito comum nos blogs, nos quais há grande identificação de estudantes. Quanto ao acesso à informação online, há falta de conhecimento de professores para lidar com essa tecnologia. A partir dessas constatações, este artigo abordará potencialidades do uso do blog com a linguagem dos jovens para além da atividade em sala de aula.

Biografia do Autor

Marco Aurélio de Almeida Soares, Universidade Católica Dom Bosco

Universidade Católica Dom Bosco

Referências

BAUMAN, Z. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

BONILLA, Maria Helena Silveira. Formação de professores em tempos de WEB 2.0. In: FREITAS, Maria Tereza de Assunção (Org.). Escola, Tecnologias Digitais e Cinema. Juiz de Fora: Ed. UFJF, 2011.

ESTEBAN, Maria Teresa, Fetzner, Andréa Rosana, A redução da escola: a avaliação externa e o aprisionamento curricular. Educar em Revista [en linea] 2015, [Fecha de consulta: 27 de febrero de 2018] Disponible en:<http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=155042190006> ISSN 0104-4060

FREITAS, Adriano Vargas e LEITE, Ligia Silva. Com giz e Laptop: concepção a integração e políticas publicam de informática. Rio de Janeiro; Wak Editora, 2011.

HALL, Stuart. Identidade culturais na pós - modernidade. Trad. Tomaz Tadeu da Silva, Guacira Lopes Louro. Rio de Janeiro: DP&A, 1997.

SKLIAR,Carlos. Pedagogia (Improvável) da diferença: se o outro não estivesse aí ?; Tradução LESSA Giane. Rio de Janeiro, DP&A, 2003.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, Sexualidade e educação. Petrópolis: Vozes, 1997.

MOREIRA, Antônio Flávio Barbosa. A recente produção cientifica sobre currículo e multiculturalismo no Brasil (1995-2000): avanços, desafios e tensões. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 18, p. 65-81, set./out./nov./dez. 2001.

SILVA, Tomaz Tadeu. Currículo e identidade social: territórios contestados. In. SILVA, Tomaz Tadeu. (org.). Alienígenas na sala de aula: uma introdução aos estudos culturais em educação. Petrópolis: Vozes, 1995. (190-207)

LOPES, Alice Casimiro e MACEDO, Elizabeth. Quem defende os PCN para o Ensino Médio?. In (Orgs) LOPES, Alice Casimiro e MACEDO, Elizabeth. Políticas de currículo em múltiplos contextos. São Paulo: Cortez, 2006. – Série cultura, memória e currículo, v. 7, p. 126 – 158.

Downloads

Publicado

2018-09-19

Como Citar

Soares, M. A. de A. (2018). MONA NÃO DAH TRUQUE, NÃO SEJA PÃO COM OVO; VAMOS NÓS AQUENDAR NA TECNOLOGIA. REVISTA BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO, CULTURA E LINGUAGEM, 2(3). Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/educacaoculturalinguagem/article/view/2975

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.