ETNIA SAAMAKA: CULTURA E EDUCAÇÃO NA COMMUNE TAMPACK GUIANA FRANCESA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26514/inter.v13i38.4846

Palavras-chave:

Educação. Cultura.Guiana Francesa. Commue Tampack. Etnia Saamaka.

Resumo

Neste artigo trataremos sobre o Povo Bushi Conde Sama da Guiana Francesa, que significa: “As pessoas que vivem na Mata” de etnia Saamaka que reside às margens do rio Oiapoque na divisa Amapá\Brasil e Saint Georges\ França, localizado na Commune Tampack. Esta pesquisa foi realizada no intuito de conhecer o processo social e histórico, as festas e celebrações culturais/religiosas, bem como o modo de vida e a relação da etnia Saamaka com a educação formal francesa. A metodologia utilizada é a pesquisa etnográfica voltada à educação, análise documental e a pesquisa bibliográfica. Para a coleta de dados utilizamos a entrevista semiestruturada e a observação. A pesquisa revelou que o currículo praticado no sistema educacional francês, monocultural e eurocêntrico, prioriza as histórias, conquistas e revoluções francesas e europeias e relega ao exotismo, à folclorização ou à invisibilidade as versões da história dos outros povos fundantes da Guiana. Doravante, crianças e jovens que estudam nas escolas da Guiana Francesa, vivem expostas a um processo de aculturação e assimilação cultural propagados, sobretudo, por meio desse currículo oficial.

Biografia do Autor

Piedade Lino Videira, Universidade Federal Amapá - Unifap

Graduada em Educação Artística com Habilitação em Artes Plásticas pela Universidade Federal do Amapá –UNIFAP.

Psicopedagoga pela Faculdade de Macapá – FAMA. Mestre e Doutora em Educação Brasileira pelo Programa de Pós-graduação Stricto Sensu da Faculdade de Educação – FACED da Universidade Federal do Ceará –UFC.

Líder do Grupo de Estudo, Pesquisa, Extensão e Intervenção em Corporeidade, Artes, Cultura e Relações Étnico- Raciais com Ênfase em Educação Quilombola – certificado pelo CNPq.

Pós-Doutoramento junto à Faculdade de Educação/FACED - UFC, na linha de pesquisa: História e Memória da Educação (NHIME), sob a supervisão do Prof. Dr.  José Gerardo Vasconcelos

Membro da Academia Amapaense de Letras do Estado do Amapá (AAL).

E-mail: piedadevideira08@gmail.com

ORCID: https://orcid.org/0000-0001-5325-9073

José Gerardo Vasconcelos, Universidade Federal do Ceará - UFC

Pós-doutor em História da Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e em Artes Cênicas pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Professor titular da Faculdade de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação Brasileira da Universidade Federal do Ceará (UFC). Coordenador do Núcleo de História e Memória da Educação (Nhime). E-mail: gerardovasconcelos1964@gmail.com Orcid: http://orcid.org/0000-0003-0559-2642

Elivaldo Serrão Custódio, Universidade Federal do Amapá

Doutor em Teologia pela Faculdades EST, em São Leopoldo/RS. Pós-doutor em Educação pela Universidade Federal do Amapá (UNIFAP). Atualmente é professor no Mestrado em Educação (PPGED/UNIFAP) e professor coorientador no Doutorado em Educação da Amazônia (EDUCANORTE). Vice-líder do Grupo de Pesquisa Educação, Interculturalidade e Relações Étnico-Raciais (UNIFAP/CNPq). E-mail: elivaldo.pa@hotmail.com   ORCID <http://orcid.org/0000-0002-2947-5347>

 

Referências

BÂ, Amadou Hampâté. A educação tradicional na África. Revista THOT n. 64, 1997. Texto original editado em francês como capítulo do livro: Aspectos de la Civilization Africaine, Paris, ed. Présence Africaine, 1972.

CAVLAK, Iuri. História da Guiana Francesa. Do início da colonização até a invasão portuguesa de 1808. In: ENCONTRO INTERNACIONAL DA ANPHLAC, 12., 2016, Campo Grande. Anais... Campo Grande: UFMS, 2016.

CLEAVER, Ana Julieta Teodoro. “Ni vue, ni connue”: a construção da nação na Guiana Francesa. 2005. Dissertação (Mestrado em Antropologia) – Programa de Pós-Graduação em Antropologia, Universidade de Brasília, Brasília, DF, 2005.

FRANÇA. Institut national de la statistique et des études économiques (INSEE), 2017. Disponível em: https://www.insee.fr/fr/accueil. Acesso em: 15 jan. 2020.

GILROY, PAUL. O Atlântico Negro. Modernidade e dupla consciência. Tradução de Cid Knipel Moreira, - São Paulo: Ed. 34; Rio de Janeiro: Universidade Candido Mendes, Centro de Estudos Afro-Asiáticos, 2001.

MAM LAM FOUCK, Serge; ANAKESA, Apollinaire. Nouvelle histoire de la Guyane: des souverainetés amérindiennes aux mutations de la société contemporaine. Matoury: Ibis Rouge, 2013.

MUNANGA, Kabengele. Rediscutindo a mestiçagem no Brasil: identidade nacional versus identidade negra. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

MINAYO, Maria Cecília de Souza; DESLANDES, Suely Ferreira; GOMES, Romeu. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 27. ed. Petrópolis: Vozes, 2008.

OLIVEIRA, David Eduardo de. Cosmovisão Africana no Brasil: elementos para uma filosofia afrodescendente. Fortaleza: LCR, 2003.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Técnicas de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

PRANDI, Reginaldo. O Brasil com Axé: Candomblé e Umbanda no Mercado Religioso. Estudos Avançados, ano 18, no 52, 2004, p 223-238.

PEREIRA, Edimilson de Almeida. Os tambores estão frios: herança cultural e sincretismo religioso no ritual de candombe. Juiz de Fora: Funalfa Edições; Belo Horizonte: MAZZA Edições 2005.

WRIGHT MILLS, Charles. Apêndice: do artesanato intelectual. In: WRIGHT MILLS. A imaginação sociológica. 3 ed. Rio de Janeiro Zahar, 1972, p. 211-243.

Downloads

Publicado

30/08/2022

Como Citar

Videira, P. L., Vasconcelos, J. G., & Custódio, E. S. (2022). ETNIA SAAMAKA: CULTURA E EDUCAÇÃO NA COMMUNE TAMPACK GUIANA FRANCESA. INTERFACES DA EDUCAÇÃO, 13(38). https://doi.org/10.26514/inter.v13i38.4846